Olhar Direto

Sábado, 02 de março de 2024

Notícias | Cidades

CALAMIDADE EM CÁCERES

Prefeita reconhece falha no sistema de drenagem após enchentes

Foto: Olhar Direto

Prefeita reconhece falha no sistema de drenagem após enchentes
A prefeita de Cáceres, Eliene Liberato (PSB), afirmou que choveu 200 mm em duas horas na cidade no último sábado (10). De acordo com ela, esse índice era esperado para o mês inteiro. A gestora reconheceu que houve falha no sistema de drenagem e disse que tenta antecipar seu retorno de Campo Grande (RN), onde está visitando familiares. No momento, o vice-prefeito Odenilson Silva (Republicanos) está no comando da prefeitura.

Leia também
Mendes monta força-tarefa no governo para auxiliar população de Cáceres; políticos prestam apoio

“População cacerense, estou aqui com a minha mãe, aproveitei esses dias para fazer uma visita a ela e meu pai, que moram aqui em Campo Grande, no Rio Grande do Norte, mas estou triste pelos últimos acontecimentos aí em Cáceres. Quero parabenizar o doutor Odenilson, prefeito em exercício, juntamente com todos os secretários e parceiros que abraçaram aí nesse momento difícil que a população está passando”, iniciou a gestora em um vídeo compartilhado nas suas redes sociais. 

“Vários bairros, ruas foram atingidos pelas fortes chuvas. Minha casa e minha rua também foram atingidas. Dizer que a todo momento estou monitorando, mesmo distante, e que a gente tem que entender que foi um fenômeno da natureza. O que choveu em duas horas, 200 milímetros de chuva, geralmente é que chove no mês de janeiro. Infelizmente, nós não temos sistema de drenagem suficiente para drenar tanta água num período curto de tempo. Mas eu já estou tentando antecipar a minha volta para estar aí presente com todos, para que a gente possa minimizar a situação dos prejuízos que as famílias passaram ", completou. 

Eliene acrescentou ainda que vai buscar alternativas junto ao seu secretariado  alternativas, para recuperar todo o prejuízo ocasionado em função dessa chuva à população cacerense. A prefeitura da cidade decretou situação de emergência e calamidade pública. Cerca de 8 mil pessoas ficaram desalojadas. 

A Defesa Civil, Exército Brasileiro (Comando de Fronteira Jaurú), Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Marinha do Brasil, Câmara Municipal de Cáceres e a sociedade civil atuam nas operações de resgate e socorro.  Além disso, monitoram áreas de risco e oferecem apoio logístico, garantindo a segurança da população. 

Segundo o governador Mauro Mendes (UNIÃO), o prédio da Escola Técnica Estadual foi colocado à disposição do município para recebimento de doações e abrigo para as famílias desalojadas. Além disso, de acordo com ele, equipes da Secretaria de Assistência Social (Setasc), a pedido da primeira-dama Virgínia Mendes, estão no município para levar alimentos, leites e ajudar as famílias que ficaram desabrigadas.

 
Entre no nosso canal do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui
 

Comentários no Facebook

xLuck.bet - Emoção é o nosso jogo!
Sitevip Internet