Olhar Direto

Sábado, 25 de fevereiro de 2017

Notícias / Política MT

Cuiabá avalia mudar lei que criou Agência Reguladora para evitar aumento na tarifa de ônibus

Da Redação - Ronaldo Pacheco

16 Fev 2017 - 16:16

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Dilemário Alencar: contra aumento na tarifa de ônibus, Câmara pode mudar lei que criou Arsec

Dilemário Alencar: contra aumento na tarifa de ônibus, Câmara pode mudar lei que criou Arsec

A possível alteração da Lei Complementar 374, de março de 2015, que criou a Agência Municipal de Regulação de Serviços Delegados de Cuiabá (Arsec), é uma das estratégias da Câmara Municipal para evitar o reajuste na tarifa do transporte coletivo na Capital. A proposta partiu do primeiro secretário da Câmara de Cuiabá, vereador Dilemário Alencar (PROS), ao especificar que, no formato  o atual da lei, decidir se haverá ou não aumento na tarifa do transporte coletivo cabe à direção da Arsec e não ao prefeito  Emanuel Pinheiro (PMDB), gestor do sistema.
 
Leia Mais:
Emanuel Pinheiro nega ação peemedebista para “queimar” Mauro Mendes

 Alexandre Bustamante, presidente da Arsec, informou que até a sexta-feira desta semana vai anunciar a decisão quanto ao aumento na tarifa de ônibus urbano. Para o vereador, essa posição confronta com a determinação de Emanuel Pinheiro, que na sessão solene inaugural da 19ª Legislatura da Câmara Municipal informou à população cuiabana que não permitirá aumento na tarifa de ônibus neste ano.
 
“Os vereadores darão todo apoio à iniciativa do prefeito em não aumentar a tarifa. Inclusive, se for necessário, para barrar o aumento, os vereadores estão dispostos a mudar a lei que criou a Arsec, visto que o prefeito é o chefe do poder concedente do sistema do transporte coletivo. Ademais, é justo não haver o aumento, pois o serviço ofertado pelas empresas do transporte coletivo é de péssima qualidade”,  disse Dilemário.
 
O parlamentar pontuou também, que a posição da direção da Arsec acaba ajudando os interesses dos empresários do transporte coletivo, que estão fazendo todo tipo de pressão para conseguir elevar a tarifa, alegando que o não aumento pode trazer desequilíbrio econômico para as empresas. Os empresários reivindicam que o valor atual da tarifa de R$ 3,60 seja elevado para R$ 4,03, o que representa um percentual de aumento de 11,94%, enquanto a inflação medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preço ao Consumidor), foi de 6,28%.
 
“Em 2008 não houve aumento na tarifa de ônibus em Cuiabá e nem por isso houve desequilíbrio econômico no sistema. Em 2017 também não haverá, pois nos últimos anos os empresários foram beneficiados com aumentos  acima dos índices inflacionários, sem que houvesse investimentos em melhorias. Certamente, o prefeito vai manter sua decisão e começar um novo rumo para mudar o caótico serviço de transporte coletivo existente em nossa cidade”, explicou Dilemário Alencar.
 

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Cuiabano
    16 Fev 2017 às 17:36

    Matem-se a pecha "CASA DOS HORRORES"

  • Rodrigo Uliana de Souza
    16 Fev 2017 às 16:33

    BOA! ISSO MESMO. ATE QUE EM FIM UMA NOTICIA BOA.

Sitevip Internet