Olhar Direto

Sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Notícias / Cidades

Banhistas invadem Complexo da Salgadeira um dia antes de obras serem retomadas; fotos

Da Redação - Wesley Santiago

11 Set 2017 - 16:51

Foto: Olhar Direto

Banhistas invadem Complexo da Salgadeira um dia antes de obras serem retomadas;  fotos
O Complexo da Salgadeira voltou a ser invadido por banhistas no último final de semana (09 e 10). O local, que fica na rodovia Emanuel Pinheiro (MT-251), está interditado. As obras de revitalização foram retomadas nesta segunda-feira (11) e ficam sob a responsabilidade da Concremax Concreto Engenharia e Saneamento LTDA. O custo será de R$ 12,6 milhões.

Leia mais:
Banho na salgadeira deverá ser para número limitado de pessoas; veja detalhes do projeto
 
A cena, flagrada por um internauta do Olhar Direto, é comum nos finais de semana. Banhistas desrespeitam as placas indicando que o local está interditado e não pode ser utilizado para banho e aproveitam para fugir do local nas águas geladas de Chapada dos Guimarães. Tapumes que serviam para proteção chegaram a ser derrubados.
 
Enquanto isto, carros ficam estacionados na beira da rodovia e se acumulam aos montes. Vale lembrar que durante o final de semana, três dos principais atrativos de Chapada dos Guimarães ficaram fechados para visitação em decorrência de um incêndio que atinge o Parque Nacional desde o último dia 7 de setembro.
 
O Morro de São Jerônimo, a Travessia da Casa do Morro e o Circuito das Cachoeiras estão impossibilitados de receber turistas. Todos os demais atrativos (Cidade de Pedra, Véu de Noiva, Cachoeirinha e Cachoeira dos Namorados e Rio Claro) continuam abertos.
 
Um grande incêndio atingiu o Parque Nacional de Chapada dos Guimarães na última quinta-feira (7). O fogo começou em uma área de morros, de difícil acesso, entre o rio Coxipózinho e a comunidade São Jerônimo.
 
Recentemente, o secretário de Cidades (Secid), Wilson Santos (PSBD), informou que “Não havia garantia de banho, mas por determinação do governador, estamos trabalhando com o Ministério Público, para paralelamente trabalhar a inclusão do banho. Mas o banho apenas do lado esquerdo da rodovia, no sentido de Cuiabá pra Chapada, e não mais como era, haverá um controle, numero limitado de pessoas por dia”.
 
O projeto de reforma ainda é o que garantia apenas a contemplação do espaço.  Ele prevê um estacionamento, uma central de lixo e gás, uma central de tratamento de esgoto, um posto policial, guaritas, um restaurante, uma loja, um mirante e um Centro de Interpretação do Turista, para estudo do turismo na região.
 
Também serão instaladas trilhas elevadas, para que os visitantes não pisem nas rochas e vegetação, na mesma diretriz que ocorre no arquipélago de Fernando de Noronha.
 
A responsável por retomar e concluir o projeto será a Concremax Concreto Engenharia e Saneamento LTDA. O valor global da obra é de R$ 12.637.552,78. O montante é quase o dobro do previsto inicialmente, em 2013, quando o projeto foi orçado em R$ 6,3 milhões. Ao todo, a antiga empresa gastou pelo menos R$ 2,4 milhões.
 
Histórico
 
O Complexo Turístico da Salgadeira tem área total de 72,4 mil metros quadrados. O local foi interditado em 2010 por determinação judicial, devido à detecção de vários problemas ambientais, como a disposição de resíduos a céu aberto, causados pela ocupação e uso irregular do espaço ao longo dos anos.
 
As obras de revitalização da Salgadeira foram iniciadas em 2014, com previsão de entrega até a Copa do Mundo e paralisados devido a inconsistências de projeto. Foram retomadas em 2016, mas parada novamente devido ao término do contrato.

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • emily
    28 Out 2017 às 10:43

    Muitos falando sobre como essa obra é um saco e uma palhaçada, mas a culpa de ela estar ocorrendo é do próprio povo. Um povo sem educação alguma, que joga lixo em locais indevidos e destrói o patrimônio natural. Um povo que não sabe cuidar de algo que poderia servir para as próximas gerações. Pior ainda, um povo que apenas pensa em si mesmo, em satisfazer a si mesmo. Se o povo que frequentava esse lugar há alguns anos pensasse em preservá-lo e não o poluir, hoje em dia não seria preciso obras e interdições para que o lugar não morra. É necessário obras para esse povo, como um todo, mal educado ver que é de extrema relevância preservar o local. E ainda há esses burros egoístas que invadem o local pensando apenas no próprio umbigo sem perceber que estão prejudicando a si mesmos.

  • Marco Silva
    12 Set 2017 às 02:49

    Esse valor me parece alto demais. Com as respostas os órgãos de controle :MPF MP MT TCE .

  • Hilton Nunes
    11 Set 2017 às 20:58

    Esta novela já está cansando. Aposto que os americanas reconstruirão os estragos do furação Irma alguns anos antes de terminarem esta porcaria de Salgadeira. Seria mais econômico jogar entulho naquilo e aterrar tudo. Esta obra já encheu o s....!

  • paulo roberto
    11 Set 2017 às 20:04

    Isso é palhaçada, quantos anos está essa novela da Salguadeira.....Esse local é do povo......Chamo de descaso aliado a incompetencia do governo!!!

  • Dinael Uruguai
    11 Set 2017 às 19:06

    Eu sou do tempo já nos tínhamos o Rio coxipo limpo Sayonara para Chapada íamos de caminhão tombeira hj para poder ir a Chapada é uma verdadeira palhaçada de parque Nacional não tem nada foi invadida por ricos e poderosos o cuiabano não podem mais disfrutar de uma tarde à beira de seus rios somos roubados em todos os âmbitos até a nossa naturezas estão nos ROUBANDO

  • alexandre
    11 Set 2017 às 18:30

    só contemplação, passar calor contemplando...

Sitevip Internet