Olhar Direto

Terça-feira, 23 de outubro de 2018

Notícias / Política MT

Chapa proporcional e relação entre Sachetti e Blairo foram decisivas para manter PP com Fagundes

Da Reportagem Local - Érika Oliveira/Da Redação - Lucas Bólico

05 Ago 2018 - 17:11

Foto: Rogério Florentino Pereira/ OD

Chapa proporcional e relação entre Sachetti e Blairo foram decisivas para manter PP com Fagundes
Após dias de incerteza, muitas plantações de notícias e blefes, o PP apoiará mesmo a candidatura de Wellington Fagundes. O deputado federal Ezequiel Fonseca, presidente estadual do partido, afirmou que deu total liberdade aos correligionários para que discutissem possíveis composições, mas revela que no final das contas a composição para as proporcionais e a proximidade de Blairo Maggi (PP) e Adilton Sachetti (PRB) foram cruciais para a manutenção do apoio a Fagundes.  

Leia também:
Jayme Campos descarta aliança com PP e PTB e diz que chapa está fechada

“O PP definiu já há algum tempo e nós estamos firmes ai, acreditamos no nosso projeto, estamos muito animados. A nossa chapa proporcional ficou muito boa. Nós tivemos o prazer de entregar nossos pré-candidatos, principalmente a estadual, tendo em vista que nós tínhamos o compromisso de entregar uma chapa leve para que o PP pudesse eleger pelo menos dois deputados estaduais. Estou muito animados com isso”.
 
A aliança pró-Wellington fará um chapão a deputado federal com todos os partidos aliados e dividirá a aliança em três blocos para estadual. No caso do PP, a esperança é fazer pelo menos duas cadeiras na AL, em uma chapa compartilhada com Pros e PMN. “Uma chapa bastante leve onde todos os 48 candidatos vão disputar igualmente e era isso a nossa busca, foi essa a nossa luta”.
 
Fator Sachetti
 
Parte do PP chegou a ensaiar uma adesão ao projeto eleitoral de Mauro Mendes (DEM), mas a confirmação da aliança entre Wellington e Adilton Sachetti acabou mantendo o PP com o PR. Sachetti é compadre do ministro Blairo Maggi, maio liderança do PP no Estado. “Sem sombra de dúvida, o senador Adilton Sachetti, nosso pré-candidato é um homem de bem, ele fortaleceu a chapa do candidato Wellington Fagundes. Fortaleceu também a nossa chapa até porque nós temos um nome muito bom, o nome de uma mulher como a Maria Lucia (PCdoB), ex-reitora da UFMT, que é a outra vaga ao Senado também nos fortalece e o mais importante é que uma chapa forte foi feita e nós estamos concorrendo de igual para igual”.
 
Fora da majoritária
 
O PP tinha como pré-candidata ao Senado a empresária Margareth Buzetti, que recuou de última hora. Com isso, o partido acabou focando nas proporcionais e não exigiu nenhuma cadeira na majoritária. Além de tentar fazer dois deputados estaduais, o PP também tenta fazer dois federais: reeleger o próprio Ezequiel e eleger Neri Geller (PP).

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Robertian
    05 Ago 2018 às 18:01

    Pelo visto os eleitores irão reeleger "o homem do dinheiro na caixa de sapato"? LINK: https://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/novos-videos-da-delacao-de-silval-barbosa-mostram-politicos-de-mt-recebendo-propina.ghtml

Sitevip Internet