Olhar Direto

Quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Notícias / Política MT

Para garantir investigação dos grampos, Janaína entrará na Justiça para arquivar CPI do MP

Da Redação - Wesley Santiago/Da Reportagem Local - Érika Oliveira

07 Ago 2018 - 11:33

Foto: Rogério Florentino Pereira/ OD

Para garantir investigação dos grampos, Janaína entrará na Justiça para arquivar CPI do MP
A deputada estadual Janaína Riva (MDB) afirmou nesta terça-feira (07), após a sessão matutina na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), que entrará na justiça ainda hoje para arquivar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Ministério Público. A medida será tomada para evitar a contestação da oposição de que a Casa de Leis não pode ter mais de três CPIs em andamento, o que barraria a abertura da investigação sobre a ‘grampolândia pantaneira’.

Leia mais:
Wilson "atropela" oposição e instaura guerra de requerimentos sobre CPI da Grampolândia; entenda
 
“Ainda hoje eu vou pedir o arquivamento da CPI do Ministério Público. Ainda está sem presidência, travada, ceifada de vícios. Não tem porque ela existir mais. Se teve todo este tempo e não conseguiu investigar nada, não vai ser agora com mais 180 dias”, explicou a deputada.
 
A confusão se deu na sessão matutina desta terça-feira, na Casa de Leis. Após dois requerimentos de abertura serem apresentados – um pelo deputado Wilson Santos (PSDB) e outro pro Janaína Riva – teve início uma discussão sobre a possibilidade de abrir uma nova CPI, visto que já tem três em andamento na Casa de Leis, limite máximo estabelecido em regimento interno.
 
A CPI das cartas de crédito do Ministério Público vem se arrastando na ALMT com sucessivas prorrogações de prazos. A gota d’água aconteceu no fim de maio, quando estava prevista oitiva do ex-procurador-geral de Justiça Paulo Prado. Mesmo avisados pelo deputado Oscar Bezerra (DEM), os parlamentares não compareceram, apenas Janaína Riva.
 
Sem a presença de mais ninguém, a oitiva foi cancelada. Por conta do fato, Bezerra abandonou a presidência da CPI. “Infelizmente uma situação caótica de desprestígio total do Parlamento Estadual, desrespeito total com essa instituição que é secular e tem poder imenso, mas que as pessoas que hoje estão na representação parece que não têm a dimensão disso”, disse irritado.
 
Outra em vigência na Casa, a CPI dos Fundos apura possíveis desvios na destinação de recursos do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Após a prisão de Mauro Savi (DEM), a comissão está sendo presidida pelo parlamentar Guilherme Maluf (PSDB).
 
A última é a CPI dos Consignados, que investiga irregularidades em cobranças e operacionalização dos empréstimos consignados aos servidores públicos de Mato Grosso. O ex-governador Silval Barbosa admitiu ter recebido propina da empresa. Os pagamentos teriam iniciado em 2011, logo após a reeleição do governador. Os valores pagos orbitavam entre R$ 400 e R$ 450 mil mensais. Júlio Mischurs também firmou delação premiada e revelou que pagava até R$ 700 mil por mês de propina para o grupo do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), de forma que o seu contrato fosse mantido com o Poder Executivo do Estado.
 
Confusão
 
Na semana passada, oposição e situação entraram em acordo para instalarem a CPI dos Grampos somente depois das eleições. Wilson Santos (PSDB) e Zeca Viana (PDT) concordaram em iniciar os trabalhos após o período eleitoral para não dar não viés político para os trabalhos.
 
A reviravolta aconteceu na sessão matutina desta terça-feira (7), quando Wilson Santos se antecipou e apresentou um requerimento próprio para criação de CPI sobre o assunto, rasgando o acordo verbal. Indignada com a manobra do tucano, Janaína Riva ocupou a tribuna e também apresentou seu requerimento, com nove assinaturas.
 
Janaína Riva garantiu que se o presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), Eduardo Botelho (DEM), não aceitar o requerimento, entrará com um mandado de segurança para que o seja.

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Maria Auxiliadora
    07 Ago 2018 às 14:07

    O inocente é o primeiro a querer, manifestar interesse em uma investigação sobre atos ilícitos que lhe são imputados. In casu, o chicken little está fazendo o que sempre fez, atrapalhando o legislativo para beneficiar seu comparsa. Se Taques perder eleição - oro ajoelhada no milho para que o eleitor mato-grossense se cure da síndrome de Estocolmo e defenestre este anão físico e moral da política de uma vez por todas - o chicken little vai ter ciscar em outro terreiro e de costas para continuar mamando nas tetas do estado, algo que faz desde muito jovem.

  • osvaldo
    07 Ago 2018 às 12:52

    Vai trabalhar Janaina e deixa a justiça (não é confiável) cuidar desse escabroso caso, pois sabemos que todas as CPIs só serve para gastar dinheiro publico e sempre acaba em pizza.

  • Zeca
    07 Ago 2018 às 12:20

    Aí está a prova que esses parlamentares não sabem o que estão fazendo na AL/MT! Se já existem outras CPIs, como instaurar uma nova? Não entendem de leis, não entendem de nada! Só falácias e o estado cada vez pior.

  • JUSTO
    07 Ago 2018 às 12:13

    Essa deputada quer holofotes, ainda tem desinformados que vota nessa cidadã, seu sobrenome não inspira confiança.

Sitevip Internet