Olhar Direto

Notícias / Ciência & Saúde

Secretário atribui casos de febre amarela no RS a mudanças climáticas

ABr

14 Jan 2009 - 17:15

O secretário de Saúde do Rio Grande do Sul, Osmar Terra, disse hoje (14) que os registros febre amarela no estado são resultado do aumento da população de mosquitos transmissores da doença em função das mudanças climáticas.

Segundo ele, “nuvens de mosquito” vem percorrendo áreas de mata. “Isso tem alguma coisa a ver com a mudança global do clima. Alguma coisa está acontecendo, pois está aumentando a população de mosquitos. Esse é o drama que estamos vivendo: em função de mudanças climáticas, nós estamos trazendo de volta um risco que estava afastado há muito tempo”, lamentou o secretário.

Esse ano, a febre amarela causou a morte de um homem e uma mulher estado. No último trimestre do ano passado, a doença também levou à morte 12 macados no noroeste gaúcho.

Segundo a Secretaria de Saúde os mosquitos transmissores (Haemagogus e Sabethes) costumam infestar, principalmente, primatas como o macaco bugio, que residem em matas ciliares, enquanto o contágio de seres humanos é eventual.

De acordo com o secretário Osmar Terra, os primatas da região não tinham imunidade contra a febre amarela porque ainda não haviam sido expostos ao vírus da doença.
Sitevip Internet