Olhar Direto

Domingo, 23 de fevereiro de 2020

Notícias / Esportes

Aos 45, Tartá salva reservas do Flu e garante empate com Boavista

Gazeta Press

02 Abr 2009 - 18:29

Cocito marcou forte para dar vitória do Boavista, mas Tartá salvou Parreira da primeira derrota
Com um time recheado de reservas, Carlos Alberto Parreira escapou de conhecer sua primeira derrota nesta passagem pelo comando do Fluminense, na tarde desta quinta-feira. Em jogo disputado no Maracanã, o Tricolor empatou com o Boavista por 2 a 2 com gol aos 45 minutos do segundo tempo.

O atacante Tartá abriu o placar aos 20 minutos de jogo e Toni empatou para os visitantes ainda no primeiro tempo, aos 39. Na etapa final, o Boavista martelou e virou com Leandro Cruz, aos 33, mas novamente Tartá salvou o Flu aos 45 minutos.

O jogo
 
 
Classificado para as semifinais, Parreira optou por mandar a campo um time quase inteiramente de reservas. E o jogo começou lento no Maracanã, com o Flu mantendo a posse de bola e trocando muitos passes em seu campo. Com dificuldades para armar jogadas de perigo, o goleiro Vinícius, do Boavista, só teve trabalho pela primeira vez aos dez minutos, quando Roger aproveitou cruzamento para cabecear em gol.

Aos 19, um lance polêmico. Roger recebeu na área e é derrubado, mas o árbitro ignorou o lance. Mas na seqüência, Tartá avançou pelo meio-campo e arriscou o chute de canhota de longe. A bola foi no ângulo e venceu Vinícius: 1 a 0

O jogo, para um Maracanã praticamente vazio, continuou morno e sem maiores emoções. O Boavista até tentou reagir, mas faltava competência para chegar com perigo ao gol do Tricolor. Por sua vez, a equipe de Parreira tentou jogar no erro do adversário e buscou os contra-ataques em velocidade. Entretanto, o clima do jogo não agradava aos poucos torcedores presentes, que começaram a vaiar.

Os visitantes, ainda sonhando com a classificação, estava motivado e teve sua pressão premiada aos 39. Depois de uma boa troca de passes, a bola terminou nos pés do atacante Tony, que fuzilou Fernando Henrique da marca do pênalti para empatar a partida.

O Flu foi o único a mudar no intervalo, com a entrada de Romeu no lugar de Maurício. E o segundo tempo começou mais movimentado. Aos sete, Roger obrigou Vinícius a fazer grande defesa. Dois minutos depois, foi a vez de o Boavista responder com Tony. O atacante, dentro da área, chutou colocado e Fernando Henrique se esforçou para mandar para escanteio.

Após a cobrança do Boavista, o zagueiro Digão fez falta dura em Roberto Santos, recebeu o segundo amarelo e, consequentemente, o vermelho, deixando o Flu com um a menos aos dez do segundo tempo. O jogo melhorou tecnicamente na segunda etapa. Com a superioridade numérica, os visitantes pressionaram o Fluminense e fez Fernando Henrique trabalhar mais. Aos 15, o goleiro Tricolor fez boa defesa num chute de longe de Leandro Cruz.

Mas o Boavista não conseguia se armar para aproveitar a vantagem, mesmo com o Flu com a zaga desfalcada. Finalmente aos 29, Parreira tirou o atacante Maicon e recompôs a contenção com o meia Rafael Augusto. O time de Saquarema continuou buscando a pressão, e chegou ao gol da virada aos 33 minutos. Paulo Rodrigues avançou pela direita e cruzou. A zaga não cortou e Leandro Cruz entrou para mandar para o fundo das redes.

O Flu, mesmo desordenadamente, não desistiu, e chegou ao empate no último minuto. Alan fez boa jogada na área e tocou para Tartá, que entrou com bola e tudo para salvar o Tricolor da derrota.

Com o empate desta quinta, ficam praticamente definidas as duas primeiras posições do Grupo A com uma rodada de antecipação. O Vasco com 21 pontos fica perto de garantir a liderança e o Flu deve fechar o turno em segundo e enfrentar o Flamengo nas semifinais da Taça Rio. Já o Boavista vai a dez e fica sem chances de classificação.

Na rodada de encerramento da Taça Rio, com todos os jogos marcados para às 16 horas de domingo, o Fluminense disputa o clássico contra o Flamengo no Maracanã, e o Boavista recebe o Americano de Campos em Saquarema.

FICHA TÉCNICA

FLUMINENSE 2 X 2 BOAVISTA

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 2 de abril de 2009, quinta-feira
Horário: 15h45 (de Brasília)
Árbitro: João Batista de Arruda (RJ)
Assistentes: Lino de Paula Neto (RJ) e Lilian Fernandes Bruno (RJ)
Renda: R$ 29.702,00
Público: 4.950 (4.489 pagantes)
Cartões amarelos: Digão (Fluminense); Cocito, Paulo Rodrigues, Fernando Bob (Boavista)
Cartão vermelho: Digão (Fluminense)

Gols:
FLUMINENSE: Tartá, aos 20 minutos do primeiro tempo e aos 45 minutos do segundo tempo
BOAVISTA: Tony, aos 39 minutos do primeiro tempo; Leandro, aos 33 minutos do segundo tempo

FLUMINENSE: Fernando Henrique; Mariano, Digão, Dalton e Leandro; Wellington Monteiro, Maurício (Romeu), Marquinho e Tartá; Maicon (Rafael Augusto) e Roger (Alan)
Técnico: Carlos Alberto Parreira

BOAVISTA: Vinícius; Flávio Medina, Pessanha, Santiago e Paulo Rodrigues; Cocito (Leandro Cruz), Fernando Bob, Bruno Moreno e Têti (Edson); Tony e Roberto Santos (Felipe Adão)
Técnico: Jorge Perreco