Olhar Direto

Segunda-feira, 19 de agosto de 2019

Notícias / Cidades

Empresário acusado de espancar filha de ex-secretário se apresenta a polícia; vídeo

Da Redação - Érika Oliveira/Da Reportagem Local - Arthur Santos da Silva

22 Mai 2019 - 17:32

Foto: Arthur Santos

Empresário acusado de espancar filha de ex-secretário se apresenta a polícia; vídeo
O empresário Breno Pereira Alves, acusado de agredir e manter em cárcere privado a filha do ex-secretário de Estado, Luiz Antonio Pagot, V.O.P., se apresentou na Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, em Cuiabá, no final da tarde desta quarta-feira (22). Ele chegou ao local por volta das 16h, na companhia de seu advogado. Ele prestou depoimento a delegada Josirleth Crivelatto por cerca de uma hora e, posteriormente, foi encaminhado ao juiz Jamilson Haddad, no Fórum de Cuiabá. 

Leia mais:
Filha de ex-secretário mantida em cárcere privado retorna à rotina, mas deve fazer acompanhamento psicológico

Breno teve mandado de prisão preventiva contra ele expedido na última segunda-feira (20). Ele é acusado de espancamento, violência sexual e cárcere privado contra V.O.P. Os dois tiveram um relacionamento até o ano passado.

Procurada na delegacia, a defesa de Breno, patrocinada pelo advogado Geovani Santin limitou-se a informar que o caso está em sigilo e que não iria fazer comentários. 


Video Arthur Santos

Consta do boletim de ocorrências que os dois namoraram durante um ano, mas estavam separados há seis meses. Porém, no dia 04 de maio deste ano, o empresário teria entrado em contato com ela, que aceitou se encontrar com ele. Os dois foram até a casa do acusado, onde conversaram bastante e reataram.

Quando a mulher teria pedido para ir embora o empresário teria se irritado e começado a espancá-la. A mulher foi agredida com tapas pelo corpo e chutes no braços e pernas. Além disso, o empresário teria mordido as costas dela e a violentado sexualmente.

O Olhar Direto conversou, nesta terça-feira (21), com a família da vítima. Conforme os familiares, V. está bem fisicamente, dado o período em que as agressões ocorreram. No entanto, afirmam que psicologicamente ela ainda está abalada e deve iniciar acompanhamento psicológico.

A família ainda afirmou que está dando todo o apoio à V. e fazendo de tudo para que ela consiga retornar à sua rotina normal, dizendo que ela, inclusive, já voltou ao trabalho. A vítima não quis dar declarações.

Atualizada às 18h05

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • paulo roberto
    23 Mai 2019 às 09:30

    Segredo de justiça, MT inteiro sabe desse caso......

  • Ruy
    23 Mai 2019 às 08:33

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Lu
    23 Mai 2019 às 08:11

    Professor e Dr. Geovane Santin arrasa. Lindo e inteligentíssimo!.

  • Alyne
    23 Mai 2019 às 01:15

    Paolo, quem te ensinou a comentar nos jornais n te ensinou a usar o Google? Ta passando vergonha! PJC é POLICIA JUDICIÁRIA CIVIL kkkkkkkkk

  • Cindy Loper
    22 Mai 2019 às 21:23

    Foi.. só uma conversa.. de pé de ouvido...

  • Paolo
    22 Mai 2019 às 18:18

    É polícia civil ou polícia judiciária e NÃO polícia judiciária civil. TA ERRADO.

Sitevip Internet