Olhar Direto

Segunda-feira, 09 de dezembro de 2019

Notícias / Política MT

Com 60 mil processos parados, Mendes inaugura novo espaço e quer fazer 5 mil análises do CAR por mês

Da Redação - Isabela Mercuri

08 Jul 2019 - 14:14

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Com 60 mil processos parados, Mendes inaugura novo espaço e quer fazer 5 mil análises do CAR por mês
Quase um ano após ter estourado a Operação Polygunum, que investigava fraudes em Cadastros Rurais Ambientais (CAR) da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), o governador Mauro Mendes (DEM) inaugurou, na manhã desta segunda-feira (8), um novo espaço que vai abrigar cerca de 50 analistas ambientais, contratados para acelerar as análises do CAR. A criação do novo espaço foi feita em parceria com o Ministério Público e, de acordo com o governador  a ideia é fazer de 4 a 5 mil análises por mês.

Leia também:
Economista explica porque minirreforma de Mendes pode se tornar inconstitucional

“Hoje temos mais de 60 mil [processos] na fila aguardando”, afirmou Mauro. “Em 2018 foram analisados aproximadamente 2 mil unidades, e se mantivéssemos a mesma performance do ano de 2018, levaríamos 30 anos para terminar este trabalho. Com apoio incondicional do Ministério Público, com excelente trabalho da nossa Secretaria de Meio Ambiente, estamos inaugurando a nova unidade, teremos 60 profissionais, queremos produzir de 4 a 5 mil análises por mês, vai depender da qualidade desse material – poderão ser analisados em primeira ou em segunda analise, e nós com isso vamos destravar, permitir que esses produtores rurais possam ter, o mais rapidamente possível, o seu cadastro ambiental rural validado pelo nosso órgão. Isso vai gerar empregos, vai permitir o crescimento de muitos desses setores, que é bom para o setor produtivo, mas que é muito bom para o estado de Mato Grosso”, disse.

Segundo a secretária da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), Mauren Lazzaretti, foi necessário um grande trabalho não só para selecionar os profissionais, mas também para melhorar a imagem da pasta. “O caminho foi muito longo. Iniciamos a gestão num momento de extrema fragilidade institucional, e precisávamos ser audaciosos nas soluções que iríamos implementar. Mudar a realidade do Estado no antro da regularização ambiental nesses novos lugares parecia uma tarefa quase impossível. Não só pelo passivo, de mais de 50 mil processos dependendo de análise, quanto pela deficiência de estrutura e a necessidade identificada na Operação Polygunum, de mudarmos o procedimento”.

A parceria com o Ministério Público deu-se principalmente com este propósito. “Quando eu fui prefeito de Cuiabá eu aprendi a trabalhar com o Ministério Público. Ao invés de ficar reclamando, ficar satanizando, dizendo que eles querem meter o bedelho em tudo, eu assumi uma postura mais proativa. Levo a eles os problemas de maneira honesta, transparente, e construo junto com eles as soluções”, comentou o governador.

O promotor de justiça Marcelo Caetano Vachiano, que também esteve presente na inauguração, reafirmou a qualidade do processo de seleção dos analistas. “Esse é um dos desdobramentos do termo de compromisso ambiental firmado com o estado de Mato Grosso, o governador abriu a semana do Ministério Público, se comprometeu a não deixar entrar pessoas não qualificadas dentro do órgão ambiental”, disse. “Temos a confiança que são pessoas qualificadas, mas além da qualificação, precisamos de produção de qualidade. Precisamos de números também. Então, além da análise correta da qualificação, será feita também do que for produzido. Se for preciso substituir analista, poderemos substituir”, finalizou.

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Juca bala
    08 Jul 2019 às 16:56

    Pode alugar um galpão do tamanho da Arena Pantanal e colocar todos os funcionários para analisar o CAR que vai dar na mesma, pois enquanto não se cobrar produtividade do servidor da SEMA vai dar na mesma. Ali é um entra e sai de funcionário que só vai pra bater ponto e ficar de bate papo nos corredores, falando de futebol, politica ou vai pra rua passear. E no final da tarde alguns funcionários batem o ponto sem ter analisado nada e outros que aparecem no final do expediente só pra bater o ponto, é só ficar de butuca que verão o entra perto de começar e fechar p expediente. Esta é a realidade da maioria dos órgão públicos, enquanto não se COBRAR PRODUTIVIDADE vai dar na mesma. A SEMA e outros órgão tem gente até demais, mas são poucos que trabalham, e os que trabalham fazem o seu serviço e dos outros que estão ali apenas pra passar tempo e no final do mês pegar seu salario e reclamar ainda sem fazer nada. Ta na hora de passar a limpa essas instituições publicas e começar a COBRAR PRODUTIVIDADE e valorizar o servidor publico que trabalha por ele, pelo seu colega preguiçoso e pelo estado.

  • silvio lopes de moraes
    08 Jul 2019 às 15:41

    Ele quer também acabar com a vida dos mato-grossenses aumentando um monte de impostos,ação ação covarde e contrária ao seu projeto do governo,um covarde,canalha,vagabundo,safado,filho da puta é isso que ele é.

  • Zeca
    08 Jul 2019 às 14:54

    É preciso agilidade na autorização dos CAR que estão estancados na SEMA. Os produtores estão angustiados por não poderem produzir em suas propriedades, arcando com grandes prejuízos por esse exacerbado atraso nas autorizações.

  • Diego
    08 Jul 2019 às 14:47

    Mais uma burla ao concurso público. Cadê o MP?

Sitevip Internet