Olhar Direto

Quarta-feira, 13 de novembro de 2019

Notícias / Cidades

“Tudo tem limite no planeta”, diz ambientalista em protesto pela Amazônia e Cerrado

Da Redação - José Lucas Salvani

28 Ago 2019 - 17:57

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

“Tudo tem limite no planeta”, diz ambientalista em protesto pela Amazônia e Cerrado
"Tudo tem limite no planeta”. A afirmação é do ambientalista Luis Gabriel Nunes, que participou de manifestação em defesa da Amazônia e Cerrado, nas ruas de Cuiabá, na tarde desta quarta-feira (28). Em Mato Grosso, 60% dos 13 mil focos de calor registrados pelo Instituto Centro de Vida (ICV) entre janeiro e agosto, se concentram em áreas privadas registradas no Cadastro Ambiental Rural (CAR).

Leia mais:
Estudantes e ativistas vão às ruas de Cuiabá em protesto pela defesa da Amazônia e Cerrado

“A gente está tentando dialogar com a população porque isso é além do problema que é mostrado na televisão. Vivemos em um sistema que rege o mundo que é um sistema de constante expansão. Sabemos que não existe nenhuma empresa ou grupo de agronegócio que não quer expandir seu negócios. É típico do empresário, seja ele pequeno, médio ou grande. Não é um crime. É uma coisa que precisamos conscientizar. Um sistema em constante expansão não é suportado em um planeta onde tudo é limitado”, explica ao Olhar Direto.

Geisa da Graça Bastos, estudante de ciências biológicas, defende que os incêndios na Amazônia e Cerrado vão além do problema ambiental, atingindo também o âmbito social, atingindo a população com menor aquisição financeira. O ambientalista Luis Nunes acrescenta que as queimadas atingem também o setor da saúde.



“A gente sabe que as queimadas, além do meio ambiente que é afetado, um dos nossos principais patrimônios, também tem a saúde pública, saúde humana. Há pessoas que têm problemas respiratórios que ficam com [os] problemas [agravados]. Acaba sendo também um problema do SUS”.

“Eu acho que é fundamental vermos que tem atos acontecendo no país todo. A gente precisa mobilizar uma certa massa crítica para tocar as pessoas que não estão conscientes com o que está acontecendo, além de poder ver a diversidade das opiniões. Poder debater para visualizar possíveis ações. 

Em Cuiabá, o ato acontece com oficinas, distribuição de mudas de plantas típicas do cerrado e passeata até a Orla do Porto, onde se encerra. Nacionalmente, os protestos defesa da Amazônia e Cerrado são realizados outras cidades e estados do Brasil ao longo da semana, estendendo-se até o sábado (31).

Ao Olhar Direto, a documentarista Jade Rainho explica ser fundamental que haja essa mobilização a nível nacional, porque só assim será conscientizar aqueles que não tem uma dimensão do que está acontecendo com as florestas, mas confessa que falta propostas concretas para a resolução do problema.

“Às vezes eu sinto nesses espaços de atos e marchas que se fala muito do que está errado, mas a gente não apresenta propostas. Eu sei que isso é devido ao cerceamento que a gente tem na educação, porque para gente se visualizar e perceber o que está acontecendo em nosso redor, nós precisamos de informação e educação para poder articular um pensamento crítico para ver de que formas se pode estar unidos para agir e trazer uma transformação consciente”, conta.

Incêndios em Mato Grosso

Em Chapada dos Guimarães (a 64 km de Cuiabá), o incêndio no Parque Nacional teve início no dia 9 de agosto e foi extinto dez dias depois, no último domingo (18). A área total devastada pelo fogo, somada entre parque e arredores próximos ao distrito de Água Fria, é de equivalente 13,3 mil campos de futebol. 

Por conta do incêndio, os atrativos turísticos da Cidades das Pedras e Vale do Rio Claro tiveram que ser fechados para visitação por motivos de segurança a partir dos dias 10 e 12 de agosto, respectivamente.

Apesar da extinção deste incêndio, desde quinta-feira (22) há outro cerca de três quilômetros do local, de acordo com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO). Por conta de queimas prescritas, o Parque está relativamente seguro.

O Parque Estadual Serra Ricardo Franco, na região de Vila Bela da Santíssima Trindade (a 521 km de Cuiabá), também foi atingido por um incêndio florestal no início do mês. O fogo só foi controlado no dia 10 de agosto, após quatro dias de atuação dos bombeiros. Cerca de 90% do fogo foi controlado.

No sábado (17), diversas ocorrências de incêndios foram atendidas ao longo de Mato Grosso. Somente em Cuiabá, dois incêndios aconteceram na Avenida Miguel Sutil e na Rodovia dos Imigrantes. Já em Campo Novo do Parecis a devastação foi em larga escala, sendo necessária atuação conjunta do Núcleo de Bombeiros da cidade, a Defesa Civil Municipal e a Coprodia, usina de etanol localizada nos arredores da cidade.

Já no domingo (18), pelo menos quatorze pequenos incêndios foram registrados nas cidades de Cuiabá e Várzea Grande. O Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso precisou escolher quais das ocorrências atender. Entre os incêndios, houve casos de automóveis pegando fogo e terrenos sendo incendiados no Distrito Industrial e Avenida do Chile, em Várzea Grande.

21 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Walter
    29 Ago 2019 às 08:51

    1 - Deveria também mostrar de onde vem o dinheiro que sustentam esses que tem profissão manifestantes. 2 - Deveriam mostrar esses mesmos "manifestantes" tacando fogo em pneus contra a poluição do ar. 3 - Demagogia pouca é bobagem...

  • Zeca
    29 Ago 2019 às 07:41

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Ricardo
    29 Ago 2019 às 07:39

    Eu penso igual Bolsonaro, temos que acabar com essas ONGS, Direitos Humanos, Conselho Tutelar,, tenho certeza que o Brasil vai melhorar e muito, isso é cabide de emprego.

  • Marcos Silva
    29 Ago 2019 às 07:37

    Em plena Quarta-feira às 6:30 da tarde, horário de pico e esse pessoalzinho fazendo passeata na Ten. Cel. Duarte impedindo o trânsito de fluir. O povo cansado nos ônibus lotados doido pra chegar logo em casa. Nota 0 pra essa galerinha, vão caçar o que fazer, vão lá ajudar a apagar os fogos!

  • Mulher boa
    29 Ago 2019 às 07:16

    Re: Mulher Ma Isso só prova a sua alienação e a de mais 426 pessoas, sempre existiram protestos e afins durante o governo Lula ou Dilma, o que torna esse governo diferente é a forma como ele trata o meio ambiente, tendo em vista que a opinião de Bolsonaro serve como combustivel para as queimadas que estão ocorrendo. Porque a senhora também não se junta aos protestos contra o atual governo e deixe de botar a culpa em uma dita "esquerda demagoga"?

  • JOAO
    29 Ago 2019 às 07:02

    Bando de HIPÓCRITAS!!!!

  • Oséias Batista Rocha
    29 Ago 2019 às 06:50

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • San
    29 Ago 2019 às 06:50

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Careca
    29 Ago 2019 às 06:13

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Olavo
    28 Ago 2019 às 22:38

    É a mesma turma do Lula livre....

Sitevip Internet