Olhar Direto

Notícias / Política MT

Mauro Mendes diz que crise política entre Mandetta e Bolsonaro é lastimável

Da Redação - Érika Oliveira

04 Abr 2020 - 14:00

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Mauro Mendes diz que crise política entre Mandetta e Bolsonaro é lastimável
Mantendo a postura de diplomacia que lhe é característica quando o assunto é Jair Bolsonaro (sem partido), o governador Mauro Mendes (DEM) se esquivou de tecer comentários sobre o comportamento do presidente frente à crise do coronavírus no País, mas criticou as divergências entre as ações de Bolsonaro e o que determina o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. 

Leia mais: 
Maggi destaca seriedade do momento: nem os governantes estão se entendendo 

Em entrevista ao Olhar Direto, ao ser questionado sobre o assunto, Mendes disse que faria avaliação sobre a conduta do presidente, mas considerou “lastimável” a crise política que se instalou – e que se agrava a cada dia – no Planalto. 

Importante lembrar que Mendes, embora tome o cuidado de se distanciar de algumas declarações e atitudes polêmicas do presidente, faz parte do grupo de gestores que flexibilizou medidas restritivas – determinando a abertura de estabelecimentos comerciais, inclusive de shopping centers – depois que Bolsonaro engrossou o coro contra governadores, por implantarem o que ele chamou de “confinamento em massa”. 

Bolsonaro defende o chamado isolamento vertical — apenas idosos e pessoas do grupo de risco seriam isolados, e o resto da população poderia circular normalmente. A tese que move essa ideia é a de que os impactos econômicos decorrentes do isolamento total causarão mais mortes que o próprio coronavírus e, por isso, seria necessário encontrar um equilíbrio.  

Mauro Mendes, em entrevistas recentes, disse que concorda “um pouquinho” com presidente. Enquanto isso, O ministro Mandetta segue pregando o isolamento total da população para evitar que a Covid-19 se espalhe rapidamente.  

A crise entre o presidente e o ministro se tornou pública há pouco mais de duas semanas. Bolsonaro chegou a estimular manifestações de rua em seu apoio em meio à pandemia e cumprimentou manifestantes em frente ao Palácio do Alvorada no dia dos atos, 15 de março. Além disso, foi pessoalmente a estabelecimentos comerciais de Brasília para interagir e, novamente, cumprimentar populares.  

Nesta quinta-feira (02), em entrevista à rádio Jovem Pan, Bolsonaro, ao ser questionado se pensava em demitir Mandetta, afirmou que não faria isso em meio à pandemia, mas bateu no ministro. Disse que, em alguns momentos, “tá faltando humildade” ao ministro.  

“Mandetta já sabe que estamos nos bicando. Ele está extrapolando. Mas não posso demitir ministro em meio ao combate. Nenhum ministro meu é indemissível”, disse. “Acho que o Mandetta em alguns momentos teria que ouvir um pouco mais o presidente da República”, completou. 

 
 

 

 

 

 

 

19 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • alex r
    06 Abr 2020 às 08:21

    Me espanta o tamanho da ignorância do povo brasileiro... hidroxicloroquina não está comprovado, o uso está somente em casos graves pq os efeitos colaterais são enormes: podendo levar a falência de rins ou fígado... Então não é a solução... Solução no memento é conscientização e evitar o risco de contaminação comunitária. Até sair vacina ou medicamentos 100% eficaz com menor risco o povo terá que se evitar e usar do máximo de assepsia.

  • RODRIGO
    05 Abr 2020 às 23:57

    Quem é vc para falar alguma coisa?? Não se elege nem para síndico mais... o povo não é mais burro como era... recolha-se a sua insignificância e incompetência!!

  • Paulo
    05 Abr 2020 às 15:42

    Governador bobão, tá longe de vc chegar perto de Bolsonaro, vc e uma piada

  • Maria
    05 Abr 2020 às 13:51

    Se o senhor estivesse no lugar do presidente, faria o que? Demitiria por certo, pois uma única pessoa não é dona da verdade. Só o fato do ministro ter retardado o uso da hidroxicloroquina, para pacientes graves apenas, já justificava a demissão. O momento requer além de trabalho, bons modos e fala suave, que se ouça o que há de resultados com esse medicamento mundo afora, para ir reorientando as estratégias, que não pode ser única.

  • Teka Almeida
    05 Abr 2020 às 12:50

    Kkkkkkk, Mauro MENTE governo FAKE NEWS apontando crise política de terceiros???!!!! Sentou em cima do rabo???!!!!

  • Jose
    05 Abr 2020 às 09:54

    Ontem lendo noticiario Internacional a Suecia um Pais Rico da Europa adotou medidas que o Bolsanaro que implantar e o Pais esta normalmente trabalhando e produzindo.Aqui um Pais Tropical e ainda esta muito quente salvo alguns Gatos pingados que trouxeram estes virus mas não esta aquele alarde que estão espalhando?

  • Toniel
    05 Abr 2020 às 08:48

    Visualiza-se, disputa política, quando na realidade, precisamos de homens com espiríto publico e que saiba distinguir o momento sério que o país passa.Existe uma conspiração visivel, contra um governo eleito por 68.000.000, de eleitores e pagadores de impostos, isso não deve ser relegado a segundo plano. O estágio em que encontra o país,precisa de união e não extremismo.

  • Rafael
    05 Abr 2020 às 08:15

    Será governo de MT X prefeito de Cuiabá. #paz100% amor#?

  • Luis
    05 Abr 2020 às 04:40

    Bonito é sua discussão com o monosselha né?

  • Raimundo
    04 Abr 2020 às 23:49

    Lava a boca para falar do presidente! Você é uma lástima.