Olhar Direto

Terça-feira, 29 de setembro de 2020

Notícias / Política MT

Candidato, Fávaro já gastou mais de R$ 50 mil em publicidade de curto mandato 'tampão'

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

07 Ago 2020 - 11:43

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Favaro durante sua posse no Senado

Favaro durante sua posse no Senado

Candidato para se manter no cargo que está ocupando interinamente até a eleição suplementar, agendada para acontecer em novembro, o senador tampão Carlos Favaro (PSD) vem investindo dinheiro público na própria imagem e na divulgação de seu trabalho no Senado, desde que tomou posse no dia 17 de abril. Com pouco mais de 100 dias no Congresso, Fávaro já gastou cerca de 635,7% a mais do que o colega Jayme Campos (DEM) e 1.960% a mais do que Wellington Fagundes (PL), em divulgação parlamentar, em 2020.
 
Leia também
Medeiros exige que Maia desconvide Felipe Neto de debate sobre fake news na Câmara Federal

 
Fávaro conseguiu chegar ao Senado após dura luta na justiça, que acabou culminando com a cassação da juíza aposentada Selma Arruda (Podemos), eleita como a mais votada em 2018, mas que perdeu o cargo pelas práticas de abuso de poder econômico e caixa 2.
 
Como não conseguiu ser empossado em definitivo, Fávaro, terceiro colocado em 2018, acabou sendo beneficiado, por decisão liminar do Supremo Tribunal Federal (STF), com a vantagem de ir para eleição de novembro ocupando o cargo.
 
Desde então, a publicidade vem sendo prioridade e o maior gasto de sua Cota para Exercício da Atividade Parlamentar, o famoso ‘cotão’, no seu até então, curto mandato.
 
Até o mês de julho, o interino gastou R$ 51,5 mil em divulgação da atividade parlamentar, de acordo com o Portal da Transparência do Senado. Deste recurso, além da contratação de uma equipe de comunicação e produção de vídeos, o senador usou mais de R$ 24 mil para patrocinar suas postagens na rede social Facebook.
 
Para se ter uma ideia do tamanho do gasto, o senador Jayme Campos usou em divulgação parlamentar, cerca de R$ 7 mil desde janeiro até o início de agosto deste ano. Já o senador Wellington Fagundes gastou apenas R$ 2,5 mil para a finalidade no mesmo período, ou seja, em um momento de pandemia, Fávaro gastou em pouco mais de três meses, aproximadamente 443% a mais do que os outros dois senadores mato-grossenses juntos, apenas com publicidade.
 
Desde que Selma Arruda foi cassada e exonerada do Senado, Favaro, que ficou em terceiro lugar na eleição de 2018, tem trabalhado para assumir de vez o lugar em que está temporariamente. No mês de março, na convenção para a eleição suplementar que deveria já ter acontecido em abril, ele lançou a sua candidatura com a empresária Margareth Buzetti (Progressistas) na 1ª suplência e o vereador rondonopolitano Hélio Pichioni (PSD), como segundo suplente.
 
O próprio interino já anunciou que continua candidatíssimo e que irá definir todos os detalhes de sua chapa nas convenções, que devem acontecer no final deste mês.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet