Olhar Direto

Sexta-feira, 27 de novembro de 2020

Notícias / Política MT

Vaga do Senado deixada por Selma será disputada por onze candidatos; conheça

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

17 Set 2020 - 15:52

Foto: Ilustração

Vaga do Senado deixada por Selma será disputada por onze candidatos;  conheça
A vaga em aberta de Senado em Mato Grosso, deixada pela senadora cassada Selma Arruda (Podemos), será disputada por onze candidatos na eleição suplementar que irá acontecer paralela às municipais no dia 15 de novembro, data adiada por conta da pandemia do novo coronavírus.
 
Veja também
Oito nomes são lançados para a disputa pela Prefeitura de Cuiabá; conheça os candidatos

 
Dos onze candidatos lançados nas convenções há apenas uma mulher, dois estreantes em eleições, assim como dois deputados estaduais, um deputado federal, um ex-governador e o senador interino Carlos Fávaro (PSD), que ocupa a vaga até um senador ser eleito e empossado.

Veja abaixo os candidatos ao Senado:



 
Carlos Fávaro (PSD): Ex-governador do Estado, Fávaro que tem 50 anos de idade, ficou em terceiro lugar na eleição de Senado em 2018 e só conseguiu assumir a vaga após Selma Arruda ser cassada. Interino, ele precisará vencer nas urnas para permanecer em Brasília (DF). A sua chapa é composta com a empresária Margareth Buzetti (Progressistas) na primeira suplência e José Lacerda (MDB) como segundo suplente.



 
Nilson Leitão (PSDB): Ex-deputado federal vindo de dois mandatos, Leitão, de 51 anos também foi um dos derrotados na tentativa de se tornar senador em 2018. Ele estava desaparecido do meio político até surgir a nova chance de retornar ao Congresso Nacional. Para a suplementar ele vai para as urnas com Júlio Campos (DEM) como primeiro suplente e José Marcio Guedes (PL) na segunda suplência.



 
Pedro Taques (SD): Ex-governador derrotado em 2018 em sua tentativa de reeleição, Taques, de 52 anos, ao não conseguir aprovação de seu antigo partido, o PSDB, para disputa a suplementar, que ocorreria no primeiro semestre, migrou para o Solidariedade e estará na briga contra vários de seus ex-aliados como Nilson Leitão e Carlos Fávaro. Até o momento ele ainda não revelou os seus suplentes.



 
José Medeiros (Podemos): Herdeiro de quatro anos do mandato de senador de Pedro Taques em 2014, Medeiros, de 50 anos construiu sua identidade em Brasília (DF) com posicionamentos conservadores em meio a polarização criada no país. Em 2018, ao lançar sua candidatura a deputado federal foi eleito como o segundo mais votado no Estado. Assim como Taques, ele não anunciou os suplentes.



 
Coronel Fernanda (Patriota): Única mulher na disputa e uma das candidatas estreando em eleições, a tenente-coronel da Polícia Militar de 45 anos foi a única entre os onze postulantes a receber apoio público do presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido). Desconhecida no meio político até então, a militar aposta na popularidade do presidente para vencer a disputa. A sua chapa completa tem o ex-deputado Victório Galli e o tenente Luciano Esteves, ambos do Patriota.



 
Procurador Mauro (Psol): Velho conhecido do povo cuiabano em eleições, por ter disputado as oito últimas em vários cargos, sem nunca ser eleito, o Procurador da Fazenda, Mauro César Lara de Barros, de 45 anos se candidatou novamente para o cargo de senador, assim como fez em 2018. O primeiro e segundo suplentes da chapa são Gonça de Melo e Vanderlei da Guia, também do Psol.



 
Reinaldo Morais (PSC): Um dos maiores produtores de suínos do país, o empresário e autor de livro de autoajuda Reinaldo Morais, de 49 anos garantiu nesta quarta-feira (17) a sua candidatura, recebendo o apoio inclusive, da antiga dona da vaga em disputa, senadora cassada Selma Arruda. O produtor que é popularmente conhecido em Cuiabá como ‘Rei do Porco’ definiu Gilberto Cattani (PRTB-MT) na primeira suplência e Neles Farias (PSC) na segunda.



 
Elizeu Nascimento (DC): Apoiado pelo PSL, que faz parte da chapa com pai do deputado estadual Ulysses Moraes, o advogado Nayme Moraes, na primeira suplência, além do oficial do Corpo de Bombeiros Paulo Selva na segunda suplência, o sargento da PM reformado e deputado estadual Elizeu Nascimento vem crescendo nas últimas eleições, mas é criticado por nunca terminar os seus mandatos. Em 2016 foi eleito deputado, dois anos decidiu abandonar o cargo para se tornar deputado e agora, novamente quer deixar o mandato para se tornar senador.



 
Valdir Barranco (PT): Deputado estadual vindo de dois mandatos, o petista Barranco, de 45 anos foi o único entre os candidatos com mandato, que resolveu se afastar para focar em sua campanha. Com a ex-reitora da UFMT Maria Lúcia Cavalli Neder (PCdoB) na sua primeira suplência e com a petista histórica Enelinda Scala na segunda, o parlamentar pretende se destacar em meio a várias candidaturas de direita.


 
Feliciano Azuaga (Novo): Candidato mais jovem, com 39 anos de idade, o doutor em economia Feliciano Azuaga conseguiu vencer a disputa interna do Novo, que tem provas, entrevistas e análise de currículo e foi oficializado como candidato ao Senado, cargo que o partido ainda não possui. Entre as suas propostas estão a luta pelo fim dos privilégios a classe política e do funcionalismo público, assim como o combate a corrupção, além da redução de gastos na máquina pública. A sua chapa é formada com o empresário Sergio Antunes na primeira suplência e a fisioterapeuta Vanessa Tomizawa na segunda.


 
Euclides Ribeiro (Avante): Advogado especialista em recuperação judicial de 46 anos que surgiu na política neste ano, Euclides, que também é um estreante em eleições, tem mostrado habilidade ao conseguir apoio de partidos importantes como o Pros da candidata à prefeitura de Cuiabá Gisele Simona, PDT e PSB. Ele ainda está usando o período de 24 horas após o término das convenções para definir seus suplentes.

 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet