Olhar Direto

Domingo, 25 de outubro de 2020

Notícias / Política MT

Com 98% de aprovação, prefeito disputa reeleição sem adversários em Mato Grosso

da Redação - Isabela Mercuri

22 Set 2020 - 14:00

Foto: Reprodução / Facebook

Com 98% de aprovação, prefeito disputa reeleição sem adversários em Mato Grosso
Para tornar-se novamente prefeito da cidade de Porto Alegre do Norte (1137km de Cuiabá) no dia 1 de janeiro de 2021, o atual chefe do Executivo municipal Daniel Rosa do Lago (PDT) só precisa de um voto. Isto porque, ao contrário do ano de 2016, quando estreou na política, desta vez ele não tem nenhum concorrente nas eleições. O atual (e também futuro) prefeito acredita que a falta de oposição deu-se em decorrência da boa gestão, sua e de sua equipe, e pelo fato de ter convidado os antigos opositores para participarem das ações dos últimos quatro anos, acabando com a rivalidade política.

Leia também:
”Não podemos nos contentar com o que está aí”, dispara Flávio Frical contra adversários

Em 2016, segundo Daniel, ele nem pensava em ser político. Nascido em Fênix, no Paraná, ele se mudou para Primavera do Leste – quando ainda não era emancipada – em 1982, junto com o irmão que tinha comprado uma fazenda. Vinte anos depois, foi para Porto Alegre do Norte, onde continuou trabalhando na iniciativa privada.

“Eu não tinha pretensão nenhuma de ser candidato, de ser político, de estar na gestão pública. Algumas pessoas me procuraram dizendo que eu teria que ser, mas não dá nem pra explicar o porque”, contou ao Olhar Direto. Mesmo sem pretensões, ele entrou no pleito contra o “Cabeção”, do PT, e Washington José, do PSDB, e venceu.

“Fiz um bom trabalho, montei uma equipe muito eficiente, um trabalho muito sério. Porto Alegre precisava de gestão, era muito deficiente em gestão pública, e a gente fez uma gestão com união, de gestor com o legislativo, que promoveu resultado. E tivemos um resultado muito bom, tivemos um trabalho muito bom, e aí não teve candidato. Eu não teria até a pretensão de sair à reeleição, nunca tinha falado em ir para a reeleição, mas não teve candidato, nomes bons”, afirmou.

Segundo o prefeito, sua avaliação foi um marco: 81,2% de “ótimo e bom” e 16,8% de “regular”, somando 98% visões positivas. Com a rejeição muito baixa, ele pretende garantir, com a campanha, que sua votação seja histórica.

“Porto Alegre do Norte tem 8085 eleitores. Pelo menos uns seis mil devem ir votar, e é o que a gente vai ter que trabalhar. Vou ter que fazer campanha para que destes seis mil que forem às urnas, que eu tenha pelo menos acima de 90% destes votos, que é também inédito em candidato único. Não conto o voto válido, mas sim quem foi na urna e votou. A gente tem também uma obrigação de fazer uma Câmara com os vereadores capazes, vou ter que trabalhar também a campanha deles, ajudar para que os eleitos sejam os mais eficientes, as pessoas mais comprometidas”, explica o prefeito. Todos os candidatos a vereadores são, também, do arco de alianças do prefeito. No total, são 47 candidaturas do PDT, PP, MDB E PSB.

Principais questões

Apesar da alta aprovação, Daniel afirma que os anos de gestão não foram fáceis.  “Foi muito difícil trabalhar em meio a uma crise política, uma crise financeira, a gente sofreu muito nos dois primeiros anos. No ano passado deu uma leve melhorada, mas com a gestão do presidente e do governador do Estado, fechando tudo que é torneira, também dificultou ano passado. Esse ano parece que deu uma clareada melhor, uma animada para gente voltar para a reeleição”, afirma.

Alguns ‘calcanhares de aquiles’ da região, no entanto, continuam sem resposta. Um deles é a construção do Hospital Regional do Araguaia, promessa ainda da gestão de Pedro Taques, em 2015. Na tarde desta terça-feira (22), o prefeito tem uma reunião com o governador Mauro Mendes, sobre outro assunto, mas pretende abordar a situação da saúde na região.

“Não vou colocar isso na campanha porque nem preciso fazer promessa para o eleitor, mas eu preciso entre o governador e a nossa região do Araguaia, preciso ter uma definição dele, pra que a nossa região não sofra tanto como vem sofrendo igual nesses anos todos. Você imagina você colocar um paciente dentro de uma ambulância e viajar 14 horas para chegar na capital? Além disso, ainda tem um trecho de 125km da BR-158 que é estrada de chão. Você imagina o sofrimento... isso quando não acontece de a gente ter que pagar avião em casos mais graves, porque não temos nenhum UTI aérea para esse tipo de transportes para os 13 municípios do Norte Araguaia”, lamenta.

A questão da BR-158 é outro grande problema da região. Daniel participou da visita do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a Sinop na última semana, mas não teve boas notícias do ministro da Infraestrutura, Tarcisio Freitas. “Ele disse que já usou todo o dinheiro desse ano, então não tem como fazer mais nada, está difícil até para fazer o reparo no trecho de chão, não tem recurso”, lembra o prefeito. Segundo ele, no entanto, esta também será uma de suas bandeiras.

 “É meu sonho, vou estar sempre brigando pela região toda. Eu não brigo só por Porto Alegre do Norte, eu sou regionalista, eu brigo pela região do Araguaia. Porque se a região melhora, todas as cidades melhoram. Isso é muito importante praquela região do Araguaia. Hoje está entrando a agricultura, mas entrando com muita força, e isso vai ajudar muito, porque a gente vai ter uma demanda muito grande de pavimentação nessas estradas, a gente vai ter uma força muito grande, que é o agronegócio”, finaliza.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet