Olhar Direto

Domingo, 25 de outubro de 2020

Notícias / Política MT

Após prisão de adjunto, Botelho diz que governo é totalmente honesto e não interfere em investigações

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo / Do local - Max Aguiar

28 Set 2020 - 11:46

Foto: Rogério Florentino Pereira/ OD

Após prisão de adjunto, Botelho diz que governo é totalmente honesto e não interfere em investigações
Presidente da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Eduardo Botelho (DEM) saiu em defesa do secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, e do governador Mauro Mendes (DEM) em relação à prisão do secretário adjunto Wanderson de Jesus Nogueira, acusado de receber propina.
 
Leia também
Ex-adjunto preso pelo Gaeco atuou em gabinete contra corrupção e responde por fraude na Caravana da Transformação

 
Para o parlamentar, a primeira denúncia de corrupção no governo deve ser melhor apurada. Ele ainda assegurou que o governador Mauro Mendes e o secretário-chefe da Casa Civil Mauro Carvalho não tiveram participação no esquema.
 
“O governo é feito de pessoas. Embora o Mauro Mendes seja totalmente honesto e correto, no meio pode ocorrer. Mas ainda não sabemos, vamos aguardar para ver o que acontece. Não podemos julgar e nem condenar ninguém antes de sabermos o que aconteceu. O Mauro Carvalho também não tem envolvimento com isso e não tem nada que possa prejudica-lo”, disse o deputado, explicando que o episódio deixa claro que o governador não tem influência sobre as polícias.
 
“Uma coisa tem que ficar claro, quando dizem que o governador Mauro Mendes está conduzindo a polícia, mostra que realmente não é isso. Ele não tem envolvimento nenhum, nunca mandou a polícia investigar e nem prender ninguém. Prende e investiga quando é preciso”, concluiu.
 
Apesar de Botelho citar que Mauro Mendes não está usando do aparelho estatal para prejudicar adversários políticos, fato que foi denunciado pelo prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) no ano passado, a operação que prendeu o secretário adjunto Sistêmico da Casa Civil, Wanderson de Jesus Nogueira na última sexta-feira (25) foi conduzida pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado), que apesar de contar com policiais civis e militares, é um órgão Ministério Público.
 
O Gaeco realizou diligências de monitoramento e prendeu em flagrante o secretário adjunto Sistêmico da Casa Civil, Wanderson de Jesus Nogueira, após receber denúncias sobre possível crime de corrupção de agente público estadual.
 
Segundo as informações do próprio Gaeco, no momento da prisão, o servidor público estava com R$ 20 mil. Há indícios de que o dinheiro tenha sido repassado por representante de empresa que supostamente foi favorecida em processo licitatório.

O adjunto foi exonerado pelo governo já na semana passada. O juiz Jurandir Florêncio de Castilho, do Núcleo de Audiências de Custódia de Cuiabá, determinou a soltura de Wanderson na sexta-feira (25). Enquanto esteve com a liberdade restrira, ele ficou no Centro de Custódia de Cuiabá.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet