Olhar Direto

Domingo, 29 de novembro de 2020

Notícias / Política MT

Barbudo isenta Bolsonaro e diz que culpa da aprovação de ministro apoiado por Centrão é dos senadores

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

25 Out 2020 - 11:58

Foto: Rogério Florentino/OD

Barbudo isenta Bolsonaro e diz que culpa da aprovação de ministro apoiado por Centrão é dos senadores
Bolsonarista ferrenho, o deputado federal mato-grossense Nelson Barbudo (PSL) avaliou que a culpa da efetivação do novo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Kassio Marques, que recebeu grande apoio do Centrão, não foi do presidente da República e sim dos senadores, que por 57 votos a 10, aprovaram sua ida para corte nesta quarta-feira (21).
 
Leia também
Vice de Julier apresenta recurso, diz que é membro do Diretório do PT e pede registro de candidatura

 
De acordo com Barbudo, Bolsonaro apenas indicou um nome para os Senadores avaliar e se o desembargador federal Kassio Marques não se mostrar no futuro uma boa opção, a culpa tem que cair sobre os ombros dos senadores, assim como é dele s a efetivação de nomes que hoje figuram na Suprema Corte e que a sociedade reprova.
 
“Foi apenas uma indicação. Coube ao Senado sabatinar avaliar o cidadão que vai ficar ali por 27 anos no Supremo. O presidente indica, mas a efetivação do ministro, se ela for bem ou mal, ela se deve ao fato dos senadores não avaliarem direito. Porque se os senadores fossem honestos e enxergassem que ele não tinha condição, podiam ter reprovado e o presidente da República indicaria outro”, disse o deputado nesta quarta-feira (22).
 
“A conivência dos senadores, como no passado, em aprovar pessoas que não tinham o saber jurídico, que não tinham conduta ilibada e que foram colocadas no Supremo, não é culpa do presidente. Foi só indicação do presidente, mas a culpa é dos senadores que efetivaram aquilo que hoje a sociedade reprova lá no STF”, analisou.
 
O plenário do Senado aprovou por 57 votos a 10, a indicação do desembargador federal Kassio Marques para assumir uma cadeira deixada por Celso de Melo no STF. O jurista foi a primeira indicação do presidente Jair Bolsonaro para a corte.
 
A indicação feita pelo presidente da República agradou líderes do chamado Centrão e até de partidos de esquerda, fato que incomodou parlamentares da base governista.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet