Olhar Direto

Quinta-feira, 18 de julho de 2019

Notícias / Turismo

Proposta de liberar uso de celular em voo preocupa passageiros nos EUA

Associated Press

12 Dez 2013 - 23:09

Enquanto o governo dos EUA estuda a possibilidade de revogar a antiga proibição de fazer chamadas telefônicas durante voos, a maioria dos americanos não quer essa mudança, diz uma pesquisa da "Associated Press".
Nesta quinta-feira (12), a Comissão Federal de Comunicações do país vai iniciar o debate oficialmente com um primeiro de muitos encontros para discutir a proibição, que já existe há 22 anos. Segundo o novo presidente da comissão, Tom Wheeler, as regras atuais são “ultrapassadas e restritivas”.

A tecnologia avançou a um ponto em que chamadas dentro dos voos— retransmitidas inicialmente por um sistema especial nas aeronaves – não sobrecarregam as torres de celular no solo. Por isso, diz Wheeler, não há razão pela qual o governo deva proibir chamadas nos aviões.
A proposta de permitir as chamadas no ar vem algumas semanas depois que a Administração Federal de Aviação relaxou sua proibição de usar equipamentos eletrônicos pessoais, como iPads e Kindles, dizendo que eles não interferem nos instrumentos da cabine.
Mas o fato de a tecnologia ter avançado não significa que a etiqueta das pessoas tenha melhorado. Muitos viajantes temem que os demais passageiros os submetam a ouvir conversas intermináveis impossíveis de serem evitadas a 10 mil metros de altitude.
Pesquisa
A pesquisa da "Associated Press" mostra que 48% dos Americanos se opõem à permissão do uso de celulares durante os voos; apenas 19% apoiam a medida; e 30% são neutros em relação ao tema. O estudo ouviu 1.367 adultos em uma amostra representativa da população dos EUA.
Entre aqueles que costumam viajar de avião, a oposição é maior. Considerando apenas os entrevistados que fizeram mais de um voo no último ano, 59% são contra a mudança na lei. O número sobe para 78% entre aqueles que voaram quatro ou mais vezes no último ano.
O próprio Wheeler se opõe pessoalmente. "Entendemos que muitos passageiros prefeririam que as chamas de voz não fossem feitas nos aviões. Eu mesmo penso assim”, afirmou em uma declaração em novembro.
Segundo ele, sua intenção é que as companhias aéreas, e não o governo, tomem a decisão de permitir ou não os telefonemas no ar.
A Delta Airlines é a única companhia aérea americana que já explicitou que não vai permitir as chamadas, devido ao retorno de seus clientes em pesquisas ao longo dos anos. As demais empresas, como a American e a United, dizem que planejam fazer estudos e ouvir os passageiros e a tripulação.
A maior associação nacional de comissários de voo se opõe à mudança, afirmando que o uso de celulares pode levar a brigas entre os passageiros.
Muitas companhias aéreas do Oriente Médio, da Ásia e da Europa já permitem chamadas de voz em suas aeronaves.
Sitevip Internet