Olhar Direto

Quinta-feira, 23 de maio de 2019

Notícias / Carros & Motos

Lustre em estande no Salão de Automóvel é mais caro do que carro

Auto Esporte

31 Out 2014 - 10:56

Foto: (Foto: Caio Kenji/G1)

Exposto no Salão do Automóvel, DS 5 Faubourg Addict sai por menos do que lustre colocado acima do veículo

Exposto no Salão do Automóvel, DS 5 Faubourg Addict sai por menos do que lustre colocado acima do veículo

Um dos carros destacados no Salão do Automóvel de SP é o DS 5 Faubourg Addict, que fica guardado em uma espécie de "garagem-ateliê". A DS, lançada como linha de veículos premium da Citroën, aparece pela primeira vez no Brasil como marca independente, apostando em detalhes luxuosos. Tanto que colocou um lustre de cristal sobre o carro. E o item mais caro ali, não é o automóvel, mas a luminária.

O carro não é barato. Ainda disponível apenas no mercado europeu, a edição especial Faubourg Addict, está entre as mais caras da linha DS, custando 42.670 euros, cerca de R$ 132 mil.

O veículo conta com pintura especial Whisper, com tons de roxo e bancos com costura especial feita à mão, na cor Criollo, uma espécie tom chocolate exclusivo.

Sob o capô, há um motor THP de 165 cavalos, câmbio com caixa automática sequencial de seis marchas, câmera de ré e faróis bi-xênon.

Mas o lustre de cristal da tradicional empresa francesa Baccarat não sai por menos de R$ 135 mil. A peça foi feita à mão na cidade homônima à marca, que fica a cerca de 400 km da capital Paris, e é a única no Brasil.

A companhia, que existe desde o século 18, informou que a luminária foi criada pelo designer Mathias, com 20 anos de experiência no ramo.

Diferentemente do DS 5, o lustre está à venda e poderá ser adquirido por interessados ao final do Salão do Automóvel.

Apesar de custar um pouco menos, o DS também foi pensado para proporcionar uma vivência diferente para os clientes.

Jeremie Martinez, chefe de produtos da linha DS, apontou que o interior do carro foi concebido para oferecer uma experiência similar a um cockpit de avião. “Ele é voltado à pilotagem, com os controles separados do passageiro”, afirmou, destacando os botões que ficam no teto do veículo, próximo ao teto solar, em alusão aos instrumentos de uma aeronave.

“O prazer em dirigir não é só o motor e caixa de câmbio, é um modo de conviver com o carro”, concluiu Jeremie, rindo preocupado com a brincadeira feito pelo repórter, a respeito do imenso - e duplo - prejuízo que seria causado caso o lustre acabasse se desprendendo do teto.
Sitevip Internet