Olhar Direto

Quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Notícias / Cidades

Laudo estrutural identifica danos na estrutura e fissuras no viaduto do Aeroporto; veja fotos

Da Redação - Wesley Santiago

10 Fev 2015 - 11:35

Foto: Wesley Santiago - Olhar Direto

Viaduto foi construído para passagem do VLT

Viaduto foi construído para passagem do VLT

Um laudo estrutural do viaduto do Aeroporto Marechal Rondon, localizado em Várzea Grande, feito pela LSE Laboratório de Sistemas Estruturais Ltda a pedido do Governo do Estado, identificou fissuras e danos na estrutura do elevado. A empresa recomenda que as falhas sejam corrigidas, como forma de garantir a vida útil da obra por pelo menos 100 anos. O empreendimento faz parte da implantação do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos).

Leia mais:
Com custo de R$ 23 mi, obra do viaduto da UFMT é uma das mais problemáticas; Veja
 
De acordo com o relatório, o levantamento  das fissuras e dos danos aparentes da estrutura foi realizado a partir de observações visuais, registros fotográficos e layouts. Entre os principais problemas estão: danificação das abas superior e inferior da longarina; infiltrações nos apoios; fissuras na viga da extremidade do lado direito, no tabuleiro do viaduto, na região do passeio, com ocorrência sistemática em média a cada 2m, abertura de 0,3mm e no berço do trilho, entre trilhos centrais, com ocorrência sistemática em média a cada 10m, abertura de 0,3mm.
 
O relatório aponta que “há relatos de irregularidades na posição das armaduras, sem o cobrimento mínimo, e de erros de locação por parte da topografia da obra, causando variações de até 8cm na espessura da laje”. Também é discriminado no documento que “a irregularidade na geometria da laje do tabuleiro foi constatada durante a inspeção visual, quando mediu-se espessura de 39cm onde consta em projeto o valor de 22cm”.


(Foto: Reprodução/LSE Laboratório de Sistemas Estruturais Ltda)

A empresa responsável pelos laudos das obras ainda destacou que "os danos nas longarinas referem-se a irregularidades nas suas abas, provocadas por choque durante o transporte, armazenamento e lançamento dessas peças".
 
A LSE observa ainda problemas de não conformidade geométrica e nas armaduras dos guarda-corpos e de suas vigas de apoio. Em fevereiro de 2014, houve a demolição dos guarda-corpos e das vigas para corrigir as imperfeições geométricas. Porém, foi ressaltado pela empresa que estas patologias identificadas não colocam em risco a utilização do viaduto.
 
Por fim, a empresa concluiu que a durabilidade do viaduto para uma vida útil de 100 anos somente pode ser garantida se houver a realização dos serviços de mitigação dos defeitos de construção, destacando-se as irregularidades geométricas e os danos observados nas vigas do tabuleiro, garantindo assim a durabilidade da estrutura. Ainda foram recomendadas inspeções visuais periódicas, seguidas de manutenção preventiva ou substituição de partes se necessário.

Corrigido ás 15h03

16 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Valeria
    11 Fev 2015 às 09:40

    Tantas irregularidades e nenhuma resolutividade, apenas problemática e ao fim ainda querem elevar a passagem do VLT... então invistam nos ônibus coletivos que custaram mais barato.

  • marcelo
    11 Fev 2015 às 08:30

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Arquimedes
    10 Fev 2015 às 22:33

    também, vieram testar essa nova tecnologia "concreto armado" logo aqui em nossa querida Cuiabá, vôteee...

  • Dario
    10 Fev 2015 às 22:23

    Haviam umas dez comissões de fiscalização dessas obras, que adoravam fazer tours nos canteiros para sair na imprensa, onde estão agora? Responderão junto?

  • NEIDE MARIA
    10 Fev 2015 às 17:47

    Precisamos nos unir e representarmos esses profissionais assim como o CREA junto ao MP para que respondam judicialmente pelo perigo de vida, perigo de acidentes com veículos e mal uso do dinheiro público. E que sejam também arrolados o Blairo, Silval, Eder, Riva, Sérgio Ricardo, Bezerra e mais alguns irresponsáveis pelo VLT que até agora só causou despesas para o erário público e nada foi construído!

  • vigilante
    10 Fev 2015 às 16:24

    a conta da copa chegou, nada de VLT ,legado bichado nenhuma obra aproveitada, CTs nem se fala, o cuiabano ficou ouriçado com a Copa (foram alertados que seria um barco furado esta Copa em Cuiabá) Pedro Taques vai empurrar com a barriga . Campo Grande agradece

  • fernando
    10 Fev 2015 às 15:25

    POIS É...SÓ QUE A MAIORIA MANDOU MS CHUPAR A MANGA ....O ABACAXI FICOU EM MT....BEM FEITO PRA QUEM ACREDITOU NESSA BALELA....

  • aliso
    10 Fev 2015 às 14:46

    Se a copa tivesse ido para MS, nada disso estaria acontecendo. Infelizmente tais obras à mais Contras do que Prós.

  • Fátima
    10 Fev 2015 às 14:36

    Já não sei mais como classificar tanto absurdo junto. Isso não é só roubo e falta de respeito aos cidadãos que pagam imposto neste estado, neste país. Porque quem pagou - ainda vai pagar - a conta de todos esses trambiques somos nós. Só espero que essas obras desabem na cabeça de quem tem - ou deveria ter - responsabilidade por elas. E não na cabeça dos pobres escravos (dessa corja de políticos corruptos e sem vergonha na cara) que somos nós: povo brasileiro.

  • belezapura
    10 Fev 2015 às 14:06

    Bom depois de varias constatação de irregularidades nesses viadutos, uma pergunta que não quer calar!! Em qual deles podemos trafegar sem medo de que possa cair sobre a nossa cabeça??

Sitevip Internet