Olhar Direto

Terça-feira, 17 de setembro de 2019

Notícias / Política MT

Trens do VLT podem parar na África e secretário diz ser possível operar trecho até o fim de 2018

Da Redação - Wesley Santiago / Da Reportagem Local - Jardel P. Arruda

19 Ago 2017 - 16:47

Foto: Wesley Santiago/Olhar Direto

Trens do VLT podem parar na África e secretário diz ser possível operar trecho até o fim de 2018
Pelo menos dez das 40 composições do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) podem ir parar na África. O secretário adjunto do VLT, José Picolli, disse que uma empresa alemã se interessou pela aquisição dos vagões, com o objetivo de revendê-los para um país africano. Porém, ele afirmou que este não deve ser o caminho seguido, já que não seria vantajoso ao Estado vender o material rodante “a preço de banana”. Além disto, Picolli também disse ser possível operar o trecho Aeroporto-Porto até o fim de 2018: “Desde que as obras iniciem nos próximos três meses”.

Leia mais:
Wilson Santos diz que há interessados nos trens do VLT e questiona se vagões pertencem ao Estado
 
Picolli explica que a venda dos vagões, apesar de possível, seria muito complicada. Isso porque, segundo ele, “não tem outro local em que está sendo implantado o VLT. Tem cidades que pensam em colocar. Fortaleza (CE) está pensando, mas por lá é a diesel e o nosso é elétrico, não serviria. Em Salvador (BA) estão partindo para uma concessão para operar, não sei se seria um preço adequado. Goiânia (GO) está suspenso, então não tem como precisar”.
 
O secretário ainda revelou para onde a empresa alemã que se interessou pelos trens poderia leva-los: “Houve o interesse de uma empresa alemã que queria comprar dez trens para revender a um país na África. Porém, foi apenas a intenção, comentários. O que faríamos com os outros que sobrariam?”, questiona.
 
Recentemente, o secretário de Cidades (Secid), Wilson Santos (PSDB), disse que “existem várias capitais pensando [em ter um VLT], houve a consulta de um grupo alemão interessando. Porém, se vender [os vagões], será com depreciação de três anos, o Estado terá prejuízo. Não será o mesmo que pagamos. Por isso defendemos tanto a continuidade”.
 
Wilson ainda aproveitou, em entrevista a uma rádio, para questionar se “esses vagões são do Estado? Há uma interrogação quanto a isto. Porque eles ainda não foram entregues oficialmente ao governo. O contrato diz que ainda precisa realizar testes e outras coisas mais. Mas continuo a dizer que eu sou defensor da retomada das obras do VLT”.
 
José Picolli disse que ainda é possível entregar pelo menos um trecho do VLT até o fim de 2018, quando termina o mandato do governador Pedro Taques (PSDB), já que a continuidade da obra foi uma das suas promessas de campanha: “Se ainda houvesse uma solução rápida nos próximos três meses, até o fim de 2018 teríamos o trecho aeroporto-porto operando. Temos cinco quilômetros implantados de via neste trecho e teríamos que colocar mais quatro para chegar até ali. Poderia ser possível até dezembro do ano que vem”.
 
Operação Descarilho
 
As obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), em vias de serem retomadas com a proximidade de acordo entre Consórcio e Governo, voltaram às páginas policiais na manhã do dia 9 deste mês, com a operação Descarrilho, deflagrada pela Polícia Federal, na qual são apuradas possíveis irregularidades na escolha do modal para operar na região metropolitana de Cuiabá. Entre os alvos da operação está o ex-secretário da Secopa Maurício Guimarães, conduzido coercitivamente.
 
A ação apura os crimes de fraude a procedimento licitatório, associação criminosa, corrupção ativa e passiva, peculato e lavagem de capitais, em tese ocorridos durante a escolha do modal VLT e sua execução na Capital de Mato Grosso.
 
Foram cumpridos 18 mandados de busca e apreensão, sendo 10 em Cuiabá (MT), um em Várzea Grande (MT), um em Belo Horizonte (MG), um no Rio de Janeiro (RJ), um em Petrópolis (RJ), dois em São Paulo (SP) e dois em Curitiba (PR).
 
VLT
 
A obra do modal de transporte está paralisada desde o final de 2014 e, devido à divergência entre os valores solicitados pelo consórcio para concluir o VLT e o valor que a atual gestão está disposta a pagar, o governador judicializaou a questão. O governo passado já pagou R$ 1,066 bilhão ao consórcio VLT Cuiabá, do total de R$ 1,477 bilhão pelo qual a obra foi contratada.
 
Projeto
 
O modal terá dois eixos, Aeroporto-CPA e Centro-Coxipó, e será implantado no canteiro central das avenidas João Ponce de Arruda e FEB, em Várzea Grande; XV de Novembro, Tenente Coronel Duarte (Prainha), Historiador Rubens de Mendonça, Coronel Escolástico e Fernando Corrêa da Costa, em Cuiabá, totalizando 22 km de extensão.

16 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • carlos
    21 Ago 2017 às 14:47

    AS ELEIÇOES VEM AI E ELES PROMETEM TUDO OUTRA VEZ E O POVO ACREDITA . ACORDEM ........

  • WE
    21 Ago 2017 às 10:59

    VENDEM OS GOVERNANTES DO MATO GROSSO TAMBEM PARA AFRICA LÁ VÃO DAR CERTO KKKKKKKK

  • Margareth Darold Martins
    21 Ago 2017 às 07:11

    Acredito que tudo já estava no Planejamento do Governo em dar continuidade ao VLT vamos esperar e confiar, Cuiabá tbem merece essa modernidade, porque ninguém merece os ônibus velhos que estão rodando

  • MARCIO LIMA
    20 Ago 2017 às 21:33

    A Africa está podendo implantar um VLT. o "celeiro do mundo" não! Incrível.

  • Mauro Sergio
    20 Ago 2017 às 16:38

    O secretário Wilson Santos está conceituando a depreciação das composições do VLT com erro.

  • Alessandrosilva
    20 Ago 2017 às 13:03

    Meu DEUS será possível que vai estragar tudo e esse governo não vai fazer nada.

  • Macedo
    20 Ago 2017 às 12:43

    Sinceramente acredito mais no aparecimento do lendário Minhocao do Pari, do que no funcionamento do VLT. Talvez o VLT seja a versão moderna do Minhocao do Pari ainda vai "engolir " muita gente ..

  • Milton Cosme Silva dos Reis
    20 Ago 2017 às 09:23

    O q e vantajoso para o estado? Deixar enferrujando tomando sol e chuva....

  • Andre
    20 Ago 2017 às 08:27

    Da para parar de falar do VLT. Já deu! Ninguém aguenta mais.... ... E só bla bla bla

  • ´ze siqueira pincel
    20 Ago 2017 às 08:07

    kkkk 2018 (não) kkkkk pode por 2028 e esse VLT não FUNCIONA não RODA kkkkkk "a não ser REBOCADO = SIVAL EDER DE MORAES & Mauricio Mala fez PRA ENGANAR A TORCIDA em 2013/14 kkkkkkkkkkkkkkk

Sitevip Internet