Olhar Direto

Quarta-feira, 19 de junho de 2019

Notícias / Cidades

Governo escolhe RDC para terminar o VLT e Secid excluirá trincheira de projeto

Da Redação - Wesley Santiago

29 Nov 2017 - 11:23

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Governo escolhe RDC para terminar o VLT e Secid excluirá trincheira de projeto
O secretário de Cidades, Wilson Santos (PSDB), revelou – em entrevista exclusiva ao Olhar Direto – que o governador Pedro Taques (PSDB) decidiu escolher o Regime Diferenciado de Contratação (RDC) para terminar as obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). Sendo assim, o modal será finalizado com dinheiro público e apenas gerido através de Parceria Público-Privada (PPP). Além disto, uma trincheira será excluída do projeto, com o objetivo de enxugar o valor final.

Leia mais:
Governo estima que obras do VLT sejam retomadas no segundo semestre de 2018
 
“Após a decisão de romper com o Consórcio VLT, estudamos novas alternativas, levamos até o governador e ele optou pela conclusão do modal VLT através de uma licitação na modalidade RDC. Estamos neste momento elaborando o edital para que, no mais tardar em fevereiro, possamos apresentar no cenário nacional um edital de concorrência pública”, disse o secretário.
 
Wilson ainda acrescenta que está sendo feito um esforço para enxugar o preço do novo modal: “Ainda não sabemos quanto será investido, mas estamos desidratando ao máximo este preço. Já retiramos do escopo desta obra a trincheira na avenida do CPA, próximo a Havan, ela será excluída. Estamos simplificando as plataformas, terminais e paradas. A intenção é economizar ao máximo”.

A trincheira Luiz Felipe teria 340 metros de extensão por 32 metros de largura. Seria constituída da via permanente, para passagem do VLT, e três faixas de rolamento por sentido, para tráfego geral dos veículos. Sobre a trincheira também era prevista a construção de uma rotatória que seria usada para conversão e acesso à rua Luiz Felipe - sentido Rodoviária de Cuiabá -, e em direção ao bairro Terra Nova. O custo seria de R$ 25 milhões.
 
O secretário ainda explicou ao Olhar Direto que o governo tem mais de R$ 193 milhões nos cofres públicos, prontos para serem usados e que a Caixa Econômica Federal (CEF) já sinalizou com um empréstimo do que for necessário e suficiente para concluir o projeto, tão aguardado pelos cuiabanos.
 
“A intenção é terminar a obra através de licitação e a operação do sistema será através de Parceria Público-Privada (PPP). Também estou esperando o prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), estou tentando há alguns dias uma reunião, para discutirmos o túnel na rua Trigo Loureiro, vindo do Baú com acesso ao Consil”, finalizou o secretário.

As obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) tiveram início em 2012, com previsão de conclusão em março de 2014, três meses antes da Copa do Pantanal Fifa 2014, tendo Cuiabá como uma das sedes – quatro jogos foram realizados na Arena Pantanal José Fragelli. Alegando não ter recebido por parcela considerável do que já havia realizado, o Consórcio VLT paralisou as obras em dezembro de 2014.
 
Após a posse, o governador Pedro Taques determinou auditoria nas obras e no contrato do Consórcio VLT. Constatou-se superfaturamento e falhas pontuais, como a aquisição antecipada das locomotivas e vagões do VLT supostamente por causa de um período de baixa do dólar.
 
Em fins de 2015, por determinação do juiz Ciro Arapiraca, da Seção Judiciária de Mato Grosso, houve a retomada das conversações do governo com o Consórcio VLT, para que as obras pudessem ser concluídas. Após a delação premiada de Silval Barbosa, revelando que houve corrupção, o contrato foi rompido. No início, o valor do projeto foi fixado em R$ 1,447 bilhão.

25 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Barreto
    30 Nov 2017 às 22:01

    Que desgoverno é esse Meu povo ?? Que bagunça falar em RDC e vlt nessa altura do campeonato !!! Bagunça total

  • Fernada
    30 Nov 2017 às 10:02

    Acho que agora não é hora de discutir o que é certo e errado, acredito que o certo é terminar sim. Manda bala WS.

  • José João pessoa
    30 Nov 2017 às 07:01

    Kkkkkk kkkkkk kkkkkk kkkkkk kkkkkk kkkkkk kkkkkk kkkkkkkkk Kkkkk kkkkkk kkkkkk kkkkkk kkkkkk kkkkkk kkkkkk kkkkkk kkkkkk véspera de Natal e eleições 2018 kkkkkk kkkkkk kkkkkk vem esse PINÓQUIO do (((RGA))) professor Zinho contador de iSTORIA kkkk Uirsu Santú. Kkkk W S

  • Veiga
    29 Nov 2017 às 22:37

    Cuidado para não fazerem coisas com tanta economia e desmoronar, sendo que a verba já esteve nesse projeto. Onde foi parar?

  • Carlos Nunes
    29 Nov 2017 às 18:44

    Ih! Agora não tem mais tempo...esse governo já tá na reta final do mandato. 2018 é ano eleitoral, a partir de março tem as as Convenções Partidárias, na segunda quinzena de Agosto começa a campanha eleitoral, no começo de outubro tem as eleições. Abrir Cuiabá (de ponta a ponta) nesse contexto é ruim a beça...trânsito caótico, clientes não podendo estacionar nas lojas, especialmente nos cruzamentos...Ih! Já vi essa estória lá em VG, numa Avenida, o cliente começou a sumir, foi comprar noutro bairro...a loja vendeu menos, desempregou, recolheu menos impostos, ou mudou ou fechou. Tarde demais...acabou o tempo, ou como diz no videogame Game Over.

  • Juca
    29 Nov 2017 às 18:23

    Esses negócio de redução e novo projeto cheira a armação. Com um projeto pronto vão fazer outro? Materiais comprados vão jogar tudo fora?

  • MARIO
    29 Nov 2017 às 17:31

    acredito que vocês adoram politico que rouba elegem então Silval e Cia.

  • Ewerton
    29 Nov 2017 às 15:53

    É pedro taques, próximo ano já vence sua promessa de campanha de botar o VLT pra rodar, não mexeu uma palha durante 4 anos nessa porcaria de tramite. Pode dar adeus a sua reeleição.

  • Fred
    29 Nov 2017 às 15:21

    Isso mais parece Roma. De a Cesar o que é de César. MPF atenção prejuizo de mais de 200 milhões.

  • Rocha
    29 Nov 2017 às 15:13

    Kkkkk .... esse Wilson Pinóquio não aprende mesmo !!! 193milhoes em caixa ?? Kkkkk .... hospitais fechando , aposentados atrasando salários, funcionalismo em greve é recebendo escalonada.... E vocês pensando em vlt no último ano de mandato.

Sitevip Internet