Olhar Direto

Terça-feira, 21 de janeiro de 2020

Notícias / Política MT

Lúdio cita agressão a jornalista e diz que Governo de Mendes é “reprodução neofascista de Bolsonaro”

Da Redação - Érika Oliveira

08 Dez 2019 - 08:00

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Lúdio cita agressão a jornalista e diz que Governo de Mendes é “reprodução neofascista de Bolsonaro”
Na semana em que foi elogiado por deputados da base do Governo e, segundo a deputada Janaina Riva (MDB), pelo próprio governador Mauro Mendes (DEM), por conta de sua atuação na oposição, o deputado Lúdio Cabral (PT) classificou a gestão do democrata como uma “reprodução neofascista do Governo Federal”, a quem ele se opõe de maneira “conceitual”. O petista citou um episódio recente, em que o governador agrediu um jornalista, e contestou os argumentos de “crise” utilizados pela administração atual.

Leia mais:
Por um voto, deputados derrubam veto em lei de benefícios fiscais mesmo após pedido de governador

“Fazemos uma oposição a essa aliança entre o neoliberalismo e o neofascimo no Brasil, que o Governo Bolsonaro representa e que se reproduz nos estados. O Governo de Mato Grosso reproduz a forma de governar do Governo Federal. E um exemplo bem recente, que retrata isso, foi a agressão do governador a um jornalista. Desnecessário, descabido, sem sentido, por conta de uma pergunta que o contrariava. Todas as medidas neoliberais que estão sendo implantadas no plano nacional eles têm trazido aqui pro Estado. Então, nosso papel é fazer oposição a esses governos e a essa forma de governar”, criticou o deputado, em entrevista ao Olhar Direto.

O episódio mencionado por Lúdio ocorreu há pouco menos de um mês, na Associação Mato-grossense dos Municípios, quando o governador deu dois tapas no peito do jornalista Pablo Rodrigo, e o puxou pelo braço quando o mesmo lhe questionou sobre sobre recente decisão do juiz da 7ª Vara Federal em Cuiabá, Paulo César Alves Sodré, que acolheu denúncia do Ministério Público Federal (MPF) e o tornou réu numa ação sobre a compra por ele, de um apartamento, em leilão judicial, fato que resultou na aposentaria compulsória da juíza do Trabalho, Carla Reita Faria Leal, também ré na mesma ação. O MPF vê irregularidade nessa compra, motivo que o levou a denunciá-lo por crime de falsidade ideológica.

Lúdio criticou, ainda, a forma como o Governo de Mendes vem enfrentado a crise econômica, que em sua opinião não existe em Mato Grosso. Para o deputado, não há que se falar em crise quando se optar por manter uma renúncia fiscal de quase R$ 6 bilhões, mesmo após a minirreforma tributária aprovada pela Assembleia Legislativa, em julho deste ano.

“Eu tenho uma diferença conceitual com o modelo de Governo que ele exerce. Para mim, o Estado hoje é governado para atender a interesses dos muito ricos. Mauro Mendes assumiu com o discurso de que o Estado estava em crise financeira e que precisava superar essa crise. Que caminho ele adota? O do enxugamento, da contenção de despesa, da culpabilização do servidor público e da asfixia das políticas públicas. Ao fazer isso ele revela para quais interesses ele governa, porque ao mesmo tempo em que o Estado vive uma suposta crise financeira, ele mantém uma política de renúncia fiscal de quase R$ 6 bilhões. Se o Estado está em crise e todos nós fomos eleitos com o compromisso de melhorar a qualidade dos serviços que são oferecidos para a população, em qualidade e quantidade, nós precisamos de mais recursos. Para dar conta de realizar os direitos da população o Governo teria que enfrentar os privilégios que estão nas renúncias fiscais, mas ele escolheu outro caminho”, apontou o deputado.

“Então, nós temos essa grande diferença na interpretação de como lidar com a administração do Estado. Para mim, não há crise financeira, o que há é uma escolha de atender a esses interesses em detrimento da qualidade do serviço público. Mas a minha relação com o Governo e com os agentes do Governo é de oposição sistemática, crítica, permanente, porém de diálogo propositivo. Eu cumpro meu papel como parlamentar, tudo que vem do Executivo que atende ao interesse público tem meu apoio e aquilo que não atende eu parto para o enfrentamento, usando as ferramentas que o Parlamento me permite. A minha concepção de mandato parlamentar não é de levar demandas para o governador atender individualmente, mas de olhar para as políticas públicas, ver onde é que os problemas existem e cobrar a solução para esses problemas. Portanto, não é uma relação em que eu tenha uma expectativa de que ele atenda alguma demanda pessoal, de despachante como alguns deputados costumam ter com quem governa. Minha relação com ele é de alguém que fiscaliza o Poder Executivo”, acrescentou.

36 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Olavo
    09 Dez 2019 às 15:00

    Iludido, é igual o Emílio surita do pânico disse na rádio "o povo trocou o chip" não caímos mais nesse papinho furado, o povo não aguenta mais esse blá blá blá do PT e dos partidos esquerdista aliados a vcs, a eleição do bolsonaro foi um divisor de águas, agora sabemos quais são suas narrativas infundadas como vcs perseguem pessoas que não concordam com o politicamente correto que vcs pregam, o gigante acordou somos 90% de conservadores e cristãos nesse país e não mais aceitamos esses partidos que não respeitam as famílias e nossa crença.

  • Ares
    09 Dez 2019 às 12:30

    Pelos positivos e negativos nos comentários o POVO ACORDOU preferem um governo fascista autoritário etc menos um governo corrupto ladrão PARABÉNS AOS BRASILEIROS DE BRIO DE HONRA DE DIGNIDADE DE DECENCIA ENFIM DE QUALIDADES MORAIS

  • Chico Bento
    09 Dez 2019 às 10:52

    Rapaz, que sujeito analfabeto político! Quanta besteira sai de sua boca. Bem, da mesma forma de Lula, Dilma, e os demais do PT e demais de esquerda a ele coligados. Agora, pior mesmo é o eleitor que vota num retrógrado desses.

  • Pablo
    09 Dez 2019 às 09:20

    Estamos vivendo tempos sombrios, com toque de recolher, os militares nas ruas, as prisões em massa de políticos esquerdistas, a invasão nas universidades, a censura e fechamento da redes de Telecomunicações. Nossa o País esta um caos com esta tal ditadura, população não pode ter mais opinião, vários jovens universitários estão desaparecendo, vitimas dos militares fascistas nas ruas, o congresso sendo fechado, os nossos honestos políticos não podendo fazer uma verbinha extra com dinheiro publico, sendo depostos de seus cargos sem justificativa, a PF prendendo políticos e magnatas por apenas terem roubado os cofres publicos, veja que ate aqui a gente é censurado pelos comentários. Tempos Sombrios esse que vivemos atual.

  • Juca
    09 Dez 2019 às 09:14

    Governo neo facista? Diz isso pro Diego Hipólito que esta sendo ameaçado pela militância esquerdopata por apenas tirar uma foto com o Presidente. E ai Ludio quem são os fascistas que perseguem quem pensa o contrario da cartilha petista hein?

  • Critico
    09 Dez 2019 às 08:56

    A diferença que esses governos não tem CORRUPCAO como ocorria nós governos ptistas

  • Kesso
    09 Dez 2019 às 07:16

    Já sabemos, se é ruim para o PTralhas é bom para o Brasil. Ninguém e absolutamente ninguém no PTralhas tem moral para falar algo.

  • Resposta ao Angelo
    09 Dez 2019 às 03:51

    Sinto que vc queria muito ser concursado e tentou e nunca passou hahahahahhahahahahhaha Aceita que dói menos!

  • Resposta ao Angelo
    09 Dez 2019 às 03:50

    Sinto que vc queria muito ser concursado e tentou e nunca passou hahahahahhahahahahhaha Aceita que dói menos!

  • Resposta ao Angelo
    09 Dez 2019 às 03:50

    Sinto que vc queria muito ser concursado e tentou e nunca passou hahahahahhahahahahhaha Aceita que dói menos!

Sitevip Internet