Olhar Jurídico

Domingo, 08 de dezembro de 2019

Notícias / Política de Classe

Desembargadora que substituiu condenado por corrupção assumirá Terceira Câmara Cível

Da Redação - Paulo Victor Fanaia Teixeira

09 Dez 2016 - 10:05

Foto: Ass. TJMT

Cerimônia de Posse

Cerimônia de Posse

A recém-empossada desembargadora do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), Helena Maria Bezerra Ramos, irá apreciar e julgar processos da Terceira Câmara Cível e da Turma de Câmaras Cíveis Reunidas de Direito Público e Coletivo. A decisão foi publicada nesta quarta-feira (07) na Portaria 687/2016 do Diário da Justiça Eletrônico (DJE). A vaga que ela ocupa foi aberta com a aposentadoria compulsória do desembargador Evandro Stábile.

Leia mais:
"Não é cargo de homens, mas de todos", diz nova desembargadora Helena Ramos; Pleno atinge 1/3 de participação feminina

Na Terceira Câmara Cível, ela vai atuar juntamente com os desembargadores Márcio Vidal e Maria Aparecida Ribeiro. A desembargadora substituirá a juíza Vandymara Galvão Ramos Paiva Zanollo, que atuava nessa câmara como magistrada convocada.

Já a Turma de Câmaras Cíveis Reunidas de Direito Público e Coletivo é formada pelos desembargadores Márcio Vidal, Luiz Carlos da Costa, Maria Aparecida Ribeiro, José Zuquim Nogueira, Antonia Siqueira Gonçalves Rodrigues e, a partir de agora, Helena Bezerra passa a compor o grupo. A magistrada substitui a juíza convocada Vandymara Zanollo.

Helena Maria Bezerra Ramos foi, à unimidade, escolhida para assumir a 10ª cadeira feminina e traz consigo um marco histórico para a justiça de Mato Grosso: pela primeira vez, 1/3 da Corte é formada por mulheres. A cerimônia de escolha ocorreu no dia 28 de novembro.

A desembargadora celebrou sua posse nesta quarta-feira (07), em cerimônia do Tribunal Pleno repleta de emoção, sentimento, agradecimentos, música e poesia, realizada no Plenário 1 do TJMT. Em discurso, Helena Maria afirmou: “É com imensa satisfação e alegria que chego a esta Corte. Estou muito feliz e orgulhosa por participar dessa instituição sólida. Este é um tribunal de bem, por isso merece a confiança da população. Para mim é uma honra, uma responsabilidade e um desafio. Chego a essa Corte com espírito aberto. Comprometo-me a trabalhar com honra e honestidade como sempre trabalhei e irei contribuir com o que há de melhor em mim”.

Helena Ramos é é mestre em Direito Civil pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP), atua em Mato Grosso desde desde 1989, e em Cuiabá desde 1996. Em 2004, ajudou a elaborar e implantar a “Justiça Comunitária”. A vaga foi aberta com a aposentadoria compulsória do desembargador Evandro Stábile. A pena se deu no Processo Administrativo Disciplinar (PAD) que investigava a participação do desembargador em um esquema de venda de sentença, descoberto pela Polícia Federal durante a Operação Asafe realizada em 2010.

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Marco Antônio
    09 Dez 2016 às 17:13

    O título da matéria é tendencioso, ridículo, pois enfatiza o non grato substituído, ao invés da pessoa recém empossada.

Sitevip Internet