Olhar Jurídico

Sábado, 28 de novembro de 2020

Notícias / Civil

Juiz marca audiência em ação que sindicato acusa Wilson de chamar servidores de 'mamadores de tetas'

Da Redação - Arthur Santos da Silva

20 Out 2020 - 17:23

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Juiz marca audiência em ação que sindicato acusa Wilson de chamar servidores de 'mamadores de tetas'
A juíza Olinda de Quadros Altomare Castrillon, da 11ª Vara Cível de Cuiabá, marcou audiência de conciliação em ação movida pelo Sindicato dos Profissionais da Área Instrumental do Governo de Mato Grosso (Sinpaig) em face do deputado estadual Wilson Santos (PSDB). Processo cobra indenização de R$ 55 mil por danos morais coletivos.

Leia também 
Justiça acata pedido de Emanuel e barra propaganda de Abílio com ator contando dinheiro

 
Segundo os autos, em junho de 2020 o deputado utilizou da sua participação em discussão acerca do projeto de lei que versava sobre a reforma da previdência estadual para desmoralizar, ofender e gerar danos à imagem dos servidores públicos de Mato Grosso.  Wilson disse, conforme ação, que os servidores são “mamadores das tetas do estado”. Ainda conforme processo, o parlamentar alardeou que “que os servidores eram os responsáveis pela falta de UTI no Estado”.

Em sua defesa, o parlamentar nega as acusações feitas na ação, argumenta que tem testemunhas e afirma que a audiência marcará a oportunidade de quem acusa provar. 

Ainda segundo Wilson, o sindicato não participou da citada reunião. "Desafio o autores da ação a apresentarem provas", afirmou ao Olhar Jurídico. Conforme Wilson, os deputados Botelho e Paulo Araújo negaram as supostas ofensas do colega. 
 
“Designo audiência de conciliação para o dia 19/11/2020, às 09:00 horas, a ser realizada na Central de Conciliação e Mediação da Capital”, decidiu a magistrada. Wilson será notificado com antecedência mínima de 20 dias.
 
“Fiquem as partes cientes de que o comparecimento na audiência é obrigatório (pessoalmente ou por intermédio de representante, por meio de procuração específica, com outorga de poderes para negociar e transigir), devendo estar acompanhadas de seus advogados”, alertou a magistrada.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet