Olhar Jurídico

Segunda-feira, 27 de maio de 2024

Notícias | Criminal

NÃO DEMONSTROU ARREPENDIMENTO

Latrocida que matou três motoristas já trabalhou com carteira assinada e foi preso por ameaçar ex-namorada após término

Foto: Olhar Direto

Latrocida que matou três motoristas já trabalhou com carteira assinada e foi preso por ameaçar ex-namorada após término
Responsável por executar três motoristas de aplicativos após roubá-los em Várzea Grande, Lucas Ferreira da Silva estudou até o 1º ano do ensino médio e já trabalhou de carteira assinada como montador de painel exotérmico de câmara fria. Durante audiência de custódia realizada nesta quarta-feira (16), ele não demonstrou arrependimento por ceifar a vida de Márcio Rogério Carneiro, de 34 anos, Elizeu Rosa Coelho, 50, e Nilson Nogueira, de 42. Lucas já foi preso por perseguição contra sua ex-namorada.


Leia mais: 
Após matar motorista, suspeitos foram para boate usar cocaína e contrataram garotas de programa no 0 KM

Lucas morava com sua mãe, irmãos e padrasto em um conjunto habitacional de Nova Monte Verde. Ele relatou que viviam dez pessoas na mesma casa.

Em março de 2023, Lucas foi preso em Nova Monte Verde por perseguir sua ex-companheira, uma adolescente de 15 anos e ameaçar a família dela, por não aceitar o fim do relacionamento.

Ligações com ameaças de morte, aviso ao pai da moça de que poderia mostrar as ameaças à polícia pois ele não teria medo e, que se fosse preso, sairia e desgraçaria a vida da família da jovem constam como as intimidações feitas por ele.

Sem demonstrar arrependimento durante a audiência de custódia pelos três latrocínios, Lucas se manteve tranquilo durante a sessão e respondeu todos os questionamentos feitos pelo promotor.

Além de confessar a autoria dos crimes de latrocínio, corrupção de menores e ocultação de cadáver, ele disse que foi agredido por um policial civil já na delegacia. “Me deu tapas na cara e me chamou de vagabundo”, relatou.

A frieza de Lucas para com os delitos ficou evidenciada no seu comportamento após cometê-los. Após assassinar um dos motoristas, ele e os dois adolescentes que o acompanharam se deslocaram para uma boate na região do Zero KM, em Várzea Grande, para comemorarem a "empreitada criminosa". No local, eles usaram cocaína e contrataram garotas de programa para praticarem sexo.

Latrocínios

No documento, Lucas contou que na noite de sábado (13), na companhia dos dois suspeitos, pediu um carro por aplicativo no bairro Manga, em Várzea Grande, e apareceu Nilson Nogueira, de 42 anos, em seu veículo modelo Onix.

Após entrarem no carro, eles foram para uma rua escura, momento em que um dos adolescentes anunciou o assalto e exigiu que Nilson sentasse no banco traseiro. Os suspeitos ainda pediram o cartão de crédito da vítima e ordenaram que ela passasse a senha.

Um dos menores, então, tomou o controle da direção e dirigiu até uma distribuidora de bebidas, onde comprou algumas cervejas utilizando o cartão do motorista.

Eles ainda subtraíram o celular de Nilson, mas por se tratar de um aparelho da marca Iphone, resolveram dispensar, com medo de serem rastreados.

No depoimento, Lucas ainda revelou que a vítima implorava pela vida.

Na sequência, eles dirigiram até um local que tinha bastante mato, determinaram que Nilson saísse do veículo e caminhasse em direção a área. Foi neste momento que o menor de 15 anos o matou com inúmeros golpes de facadas e canivete, diz o documento.

“Que afirma ter dado de nove a dez facadas no pescoço da vítima; que a vítima já tinha morrido, mas o interrogado não cessou as facadas”, diz trecho da narração.

Após abandonar Nilson no local, os criminosos fugiram no veículo do motorista, até ele quebrar e ser abandonado. Lucas narra que após o fato, eles caminharam por cerca de duas horas até chegarem em uma boate no Zero KM, lugar conhecido por ser ponto de prostituição.

Na região, eles consumiram bebida alcoólica, compraram cocaína e ainda contrataram três garotas de programa. Segundo Lucas, eles foram ao local para “comemorarem que a empreitada deu certo”.

Policiais da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) foram informados sobre o desaparecimento de Elizeu Rosa Coelho, de 58 anos, no dia 11 de abril.

Já no final de semana, um novo registro de desaparecimento foi  constatado. Desta vez, de dois motoristas de aplicativo, sendo Márcio Rogério Carneiro e  Nilson Nogueira, de 42 anos.

Durante o início das investigações, foi verificado que as vítimas desapareceram após aceitarem algumas corridas. 

Na noite de segunda-feira (15), o corpo de Márcio foi encontrado na região do Chapéu do Sol e de Elizeu em um lixão próximo ao bairro Capão do Pequi, ambos em Várzea Grande.

Já nesta terça-feira (16), os policiais localizaram o corpo de Nilson.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet