Olhar Direto

Quarta-feira, 20 de janeiro de 2021

Notícias / Política MT

Silval sabe de suspensão do PAC e já cobra Galindo

Reportagem Local - Julia Munhoz / Da Redação - Alline Marques

04 Ago 2011 - 11:10

Foto: Secom-MT

Silval sabe de suspensão do PAC e já cobra Galindo
O governador Silval Barbosa (PMDB) foi comunicado oficialmente pela Caixa Econômica Federal (CEF) que os recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para Cuiabá serão 'cortados', caso o sistema de saneamento seja repassado à iniciativa privada e cobrou uma decisão do prefeito Chico Galindo (PTB).

O peemedebista já informou Galindo de que o governo do Estado 'fica em uma situação complicada' para assumir as obras e não poderá arcar com o investimento sozinho.

Segundo o governador, os recursos do PAC 1 serão de fato cortados e não será realizada a elaboração do convênio para o PAC 2. "Avisei o Galindo hoje e enquanto não for resolvido esse assunto eu também fico em uma situação delicada. É um prejuizo muito grande", afirmou Silval, durante coletiva realizada na manhã desta quinta-feira (5).

A situação agora ficou mais complicada ainda para Galindo que insiste em enviar um novo projeto à Câmara Municipal de Cuiabá referente à criação da Agência Municipal de Regulação dos Serviços de Água e Esgoto (Amaes), na qual permite a venda da concessão. O assunto já é polêmico e foi alvo de inúmeros protestos na cidade e agora deverá piorar ainda mais a situação do prefeito, que enfrenta um enorme desgaste.

Caso o prefeito insista na decisão de 'privatizar' os serviços da Sanecap, a capital mato-grossense poderá perder aproximadamente R$ 377 milhões em obras de saneamento, água, esgoto, captação e tratamento de água. Para o PAC I estavam previstos investimentos de R$ 238 milhões, e para o PAC II o orçamento é de R$ 139 milhões.

Leia:


Galindo tem argumentos para não perder verbas do PAC

Comentários no Facebook

Sitevip Internet