Olhar Jurídico

Segunda-feira, 28 de setembro de 2020

Notícias / Política de Classe

Impugnado, Rogério Gallo recorre e diz que Moreno quer diminuir participação de advogados públicos na OAB

Da Redação - Laíse Lucatelli

22 Nov 2015 - 13:04

Foto: Tchélo Figueiredo / Secom Cuiabá

Impugnado, Rogério Gallo recorre e diz que Moreno quer diminuir participação de advogados públicos na OAB
Após ser barrado pela comissão eleitoral na eleição da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional de Mato Grosso (OAB-MT), que impugnou sua candidatura a conselheiro federal, o procurador-geral do município de Cuiabá, Rogério Gallo, disparou críticas ao candidato a presidente José Moreno, autor da impugnação. Ele afirmou que Moreno quer diminuir a participação dos advogados públicos dentro da instituição.

Leia mais:
Moreno diz que advocacia ganha com fim de boca de urna para OAB-MT

“A minha impugnação por Moreno representa um duro ataque à advocacia pública, pois demonstra, claramente, que ele objetiva diminuir a participação destes advogados no cenário eleitoral da OAB, o que, além de ser inadmissível, é antissindical”, disse Gallo ao Olhar Jurídico.

De acordo com ele, o fato de atualmente ser conselheiro estadual da seccional de Mato Grosso, é um dos exemplos de que ele é elegível, portanto, entrará com os recursos cabíveis contra a impugnação. Rogério Gallo é candidato a conselheiro federal da OAB-MT na chapa encabeçada por Leonardo Campos.

Ainda segundo Gallo, o artigo 63 da lei 8.906/94 é claro no sentido de que, para ser candidato, o advogado precisa comprovar exercício profissional há mais de 5 anos, requisito preenchido por ele, fazendo com que sua candidatura seja absolutamente regular.

“O nosso candidato a presidente, Leonardo Campos, já me afirmou que não admitirá a tentativa de diminuição da representatividade da advocacia pública que objetiva a chapa de José Moreno”, declarou.

"Desespero e hipocrisia"

Rogério Gallo também fez críticas a Moreno pelo fato de Huendel Rolim, candidato ao conselho estadual pela chapa ‘Atitude na Ordem’, dizer que ele não poderia recorrer da decisão. Segundo ele, Moreno e Huendel, que são advogados, desconsideram qualquer fato sobre o direito do cidadão à defesa.

“Pior ainda é ver uma declaração dessa dentro de uma disputa a presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, principalmente vindo de Huendel Rolim, advogado criminalista. Mas aí verificamos até aonde vai o desespero e hipocrisia deles na tentativa de alavancar a candidatura de Moreno. A resposta virá nas urnas”, concluiu. A eleição da OAB será na próxima sexta-feira (27).

Impugnação

No entender da OAB, o fato de Gallo ocupar o cargo de procurador-geral de Cuiabá, e ter substituído o prefeito Mauro Mendes (PSB) por dez dias neste ano, Gallo teria interrompido suas atividades no exercício do Direito, o que viola o Provimento 146/2011, do Conselho Federal da Ordem. A decisão atendeu a representação da chapa “Atitude na Ordem”, encabeçada por José Moreno.

Como Mauro Mendes não tem vice-prefeito, já que João Malheiros (PR) renunciou antes da posse, Rogério Gallo é o segundo na linha de sucessão municipal, atrás do presidente da Câmara, o vereador Julio Pinheiro (PTB).

(Colaborou Paulo VIctor Fanaia)
 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet