Olhar Jurídico

Terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Notícias / Civil

Advogado comete erro e junta contrato de submissão sexual em ação contra seguradora

Da Redação - Arthur Santos da Silva

09 Jan 2020 - 15:09

Foto: Reprodução

Advogado comete erro e junta contrato de submissão sexual em ação contra seguradora
Circula nas redes sociais uma ação de indenização por danos morais, protocolizada no Quarto Juizado Especial Cível de Cuiabá, contendo falha grave. No interior da peça inicial, o advogado responsável pelo processo, R.G.A.A.S., acabou anexando documento estranho aos autos: um contrato de submissão sexual.

Leia também 
MP investiga parcelamento irregular e utilização indevida de APP em construção de condomínio 


O advogado propôs em nome de sua cliente a ação contra uma seguradora que supostamente deixou de indenizar celular roubado. A petição inicial é do dia 11 de dezembro de 2019. Ocorre que, ao juntar documento no processo, R.G.A.A.S. anexou erroneamente um contrato de submissão sexual justamente com a vítima do roubo.
 
“O propósito fundamental do presente contrato é permitir à Submissa explorar de maneira segura sua sensualidade e seus limites, respeitando e considerando devidamente suas necessidades, seus limites e seu bem-estar”, diz trecho do documento.
 
Ainda segundo o contrato, a submissa “estará disponível para o Dominador das noites de sexta-feira até as tardes de domingo todas as semanas”.
 
Ao verificar o erro, o magistrado responsável pelo processo determinou que o advogado retire o documento da ação, eis que estranho aos autos. “Anoto para tanto o prazo de 15 dias, sob pena de indeferimento da inicial”.

11 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Antonia
    10 Jan 2020 às 10:16

    ABSURDO. ESTOU ENGANADA OU OS HONORÁRIOS ADVOCATICIOS SERIAM PAGOS COM SEXO? E O FIM.

  • Vettel
    10 Jan 2020 às 07:50

    Vixxxe ....a casa caiu! Pagando com "favores" sexuais

  • Alguem
    10 Jan 2020 às 01:43

    50 tons de vergonha kkkkkkk

  • Antônio Carlos Guedes
    09 Jan 2020 às 18:40

    São os nossos advogados . Sobra canalhice e falta carater .

  • Elvis Crey
    09 Jan 2020 às 17:33

    É preciso muita cautela nessa hora! Nas fotos das redes sociais, dá pra ver bem o nome de qual servidora e vara do TJMT que vazou isso, segundo, se é verdade ou não, no contrato não tem assinatura da moça, e outro, que coisa heim advogado, terceiro tem nome, endereço, CPF e foto da moça. Resumindo, vai dar processo pra todo lado...

  • Tio Bento
    09 Jan 2020 às 17:30

    O juiz é obrigado a lidar com essas coisas no dia dia. Isso aí não é nada, se comparado aos absurdos que acontecem, principalmente nas varas de família. Quem é juiz, sobretudo os mais velhos, sabem como é difícil manter a vara em pé, funcionando, e ainda tendo que lidar com esse tipo de imoralidade...

  • Heraldo Garcia Marques
    09 Jan 2020 às 16:32

    É o padrão OAB de qualidade.

  • Dona Mariquinha do Verdão!
    09 Jan 2020 às 16:25

    SANTA mãe de Deus... esse que e um vacilo....

  • Juinense
    09 Jan 2020 às 16:12

    Esse está ferrado. Se não prestar para ser nem advogado, vai prestar para que?

  • observo
    09 Jan 2020 às 16:05

    Achou que ia passar batido pelo juiz para ficar se gabando depois ........q ia fala que juiz nao le

Sitevip Internet