Olhar Jurídico

Terça-feira, 19 de outubro de 2021

Notícias / Eleitoral

recomendação

Após bancos se negarem a abrir contas eleitorais, MP recomenda cumprimento de resolução do TCE

Da Redação - Isabela Mercuri

10 Out 2020 - 11:55

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Após bancos se negarem a abrir contas eleitorais, MP recomenda cumprimento de resolução do TCE
O Ministério Público Eleitoral (MPE) recebeu, recentemente, denúncias de que agências de bancos privados estavam se negando a abrir as contas e encaminhando os candidatos e partidos às agências da Caixa Econômica Federal, que já está lotada por conta do auxílio emergencial. Com isso, realizaram uma reunião na última sexta-feira (9), recomendando aos superintendentes das instituições bancarias que façam a abertura das contas.

Leia também:
Justiça retira programa de Fávaro do ar por excesso de participação do governador

De acordo com informações da assessoria de imprensa do MPE, esta abertura é determinada pela Resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) 26.607/2019. A informação de que as agências bancárias têm se negado a abrir as contas chegou ao procurador regional Eleitoral, Erich Masson.

Além do que está previsto no artigo 8º, da Resolução do TSE, há também o Comunicado 35.979, de 28 de julho deste ano, do Banco Central do Brasil (Bacen), instruindo as instituições bancárias a se organizarem administrativamente e realizem, além da abertura das contas, o atendimento relacionado à movimentação financeira e o encerramento de contas de depósitos de campanha eleitoral, assim como a emissão de extratos eletrônicos dessas contas bancárias para o envio à Justiça Federal.

No documento recomendatório, o procurador Erich Masson enfatizou que tanto o gerente do banco quanto o superintendente, em caso de descumprimento, poderão responder pelo crime do artigo 347, do Código Eleitoral, que prevê detenção de 3 meses a 1 ano e pagamento de 10 a 20 dias-multa em caso de descumprimento ou desobediência a diligências, ordens ou instruções da Justiça Federal ou colocar dificuldades para a sua execução. Além disso, também poderão sofrer sanções administrativas a serem aplicada pelo Bacen. 

O prazo para que os superintendentes respondam a Recomendação do MP Eleitoral é de dois dias úteis, ou seja, até 14 de outubro de 2020.

O procurador regional Eleitoral, Erich Masson, também convocou os superintendentes, ou representantes, para uma reunião na tarde da última sexta-feira (9). A reunião foi realizada via videoconferência.

Durante a reunião, Masson deixou claro que orientará os partidos e candidatos no sentido de documentar a recusa dos bancos e informar o MP Eleitoral para eventual instauração de inquérito policial pelo crime previsto no Código Eleitoral, já citado, além de fazer reclamação no Bacen, para que sejam investigados no âmbito administrativo.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet