Olhar Jurídico

Quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Notícias / Internacional

Ophir faz crítica a declaração de presidente da Ordem de Portugal

Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil

12 Dez 2012 - 16:52

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, criticou nesta quarta-feira (12) as declarações do bastonário da Ordem dos Advogados Portugueses, António Marinho e Pinto, segundo as quais o Brasil tem se destacado por exportar prostitutas para seu país. “Há preconceito na declaração, em que pese a constatação do problema do tráfico de mulheres, hoje presente em todo o mundo. Mas há outras formas de resolver e devemos todos nos empenhar nesse sentido, ao invés de fazer generalizações dessa natureza”, afirmou Ophir.

As declarações do bastonário ocorreram no final de outubro, durante participação em um programa televisivo intitulado “Justiça Cega” . No entanto, com a divulgação do vídeo pela Internet, somente agora o assunto passou a ser visto pelos brasileiros que residem em Portugal. António Marinho Pinto comentava o caso da jovem que leiloou sua virgindade, quando afirmou: “Uma das coisas que o Brasil mais tem exportado para Portugal são prostitutas, entre outras coisas”.

Para Ophir Cavalcante, generalizações costumam ser fonte de injustiças nesse tipo de comentário, e, no caso, o bastonário da Ordem portuguesa “cometeu uma grande injustiça, principalmente contra as mulheres, usando de estereótipos que temos obrigação de combater”.
Sitevip Internet